Ex-número um do mundo, tricampeão de Roland e maior da história do tênis brasileiro, Gustavo Kuerten ficou emocionado com o jogo que bateu recorde de mais longo da história da Copa Davis, com 6h42. O Brasil vencia o duelo contra a Argentina por 2 a 1 pelas oitavas de final do torneio, em Buenos Aires. Guga viu o compatriota João Souza, o Feijão, muito perto da vaga para as quartas em uma verdadeira batalha contra o argentino Leonardo Mayer. O confronto ganhou ficou dramático. O brasileiro, número um do país e 75 do mundo, conseguiu empatar a partida depois de ter perdido os dois primeiros sets e ainda salvou dez match points. No fim, os dois rivais estavam esgotados. Mayer, 29º colocado do ranking mundial, acabou levando a melhor por 3 sets a 2, mas não tirou o brilho de Feijão. O clássico ficou empatado por 2 a 2.

Leia também:  Holloway vence a luta contra José Aldo

Para Guga, a disputa acirradíssima foi um “espetáculo de guerreiros”, que se entregaram de corpo e alma sem se importar com o tempo e o calor que atingiu a capital da Argentina.

– Simplesmente inumano! Que espetáculo esses dois guerreiros proporcionaram numa partida de entrega total: corpo, alma e coração! Seis horas e 42 minutos de uma batalha extraordinária debaixo de um sol escaldante, recorde de duração de um jogo de Copa Davis! Esses jogos transformam a pessoa e o jogador, porque os sentimentos que vivemos lá dentro são tão intensos que dá vontade de sorrir, chorar, gritar, vibrar, espernear, tudo ao mesmo tempo! É fascinante e também desesperador quando conseguimos nos aproximar tanto do limite da nossa capacidade física! Parabéns Feijão e Leonardo Mayer, dois campeões num verdadeiro espírito de Copa Davis! #show #superação #fantástico #daviscup #BRAxARG #mayer #feijao #tennis #orgulho – comentou Gustavo Kuerten em sua conta no Instagram.

Leia também:  Mato-grossenses jogam pelo brasileiro neste final de semana

O placar de 3 a 2, com parciais de 7/6(4), 7/6(5), 5/7, 5/7 e 15/13, foi a mais longa de simples na Copa Davis. Superou as 6h22 da vitória do americano John McEnroe sobre o sueco Mats Wilander em 1982 (9/7, 6/2, 15/17, 3/6 e 8/6), época em que o sistema de tie-break ainda não era usado. A partida mais duradoura do torneio entre países foi o duelo de duplas entre Stanislas Wawrinka/Marco Chiudinelli, da Suíça, e Tomas Berdych/Lukas Rosol, da República Tcheca, em 2013, que se arrastou por 7h02, com vitória dos tchecos por 6/4, 5/7, 6/4, 6/7 e 24/22.

Com o empate entre Brasil e Argentina, a partida que vai definir o vencedor da série será o jogo entre o brasileiro Thomaz Bellucci (87º) e o argentino Federico Delbonis (83º). O duelo começou ainda neste domingo, mas teve seu término adiado para a segunda-feira, às 11h, por falta de iluminação natural após o brasileiro perder o primeiro set por 6/3.

Leia também:  Brasil vence a Holanda e tem desafio mortal contra os Estados Unidos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.