O palco da turnê mundial protagonizada por José Aldo e Conor McGregor mudou. As provocações entre os atletas, não. Nova York – estado que luta pela legalização do MMA – recebeu a dupla na quinta-feira, e a batalha verbal seguiu no mesmo tom visto nas cidades visitadas anteriormente.

Falastrão, o irlandês, desafiante ao cinturão do peso-pena, pertencente ao brasileiro, declarou que está pronto para dominar o adversário nos primeiros minutos, no ponto forte do oponente: a trocação.

– Estou treinando para cinco rounds, me preparando para a guerra. É melhor ele estar pronto para morrer, porque eu estou preparado para matar. É como na selva. Um rei fica velho, começa a ficar descuidado, aí um jovem gorila vem e o mata, levando tudo o que ele tem. É isso que está acontecendo. Sinto que a luta vai ser decidida nos primeiros quatro minutos. Ele vai estar derrotado em pé nos primeiros quatro minutos, e o resto será uma formalidade para ver o quanto ele aguenta – provocou.

Leia também:  Acontece nesse final de semana 1º Torneio de Férias de Vôlei no Ginásio Municipal de Jaciara

Primeiro e único campeão desta categoria, Aldo está habituado a ouvir que será destronado. Tranquilo, o lutador da Nova União garante que McGregor vai receber o mesmo destino de seus últimos oponentes.

– Há muito tempo já estou com esse cinturão. Já estou acostumado com tudo. A experiência está do meu lado. Muitos virão como ele falar muita coisa, mas ele vai cair como todos eles caíram.

Um torcedor brasileiro perguntou se José Aldo considerava McGregor um fã por copiá-lo ao pular a grade – em alusão à comemoração do manauara no UFC Rio 2, quando deixou o octógono para festejar com o público.

– Foi isso que eu sempre falei. Enquanto eu estava lutando, já era campeão, ele estava assistindo aos meus vídeos, estava aprendendo comigo – destacou o campeão.

Leia também:  Apresentador passa mal "ao vivo" em Lucas do Rio Verde

Um fã americano disse em português para o brasileiro: “Seus dias estão contados, você vai morrer!”, demonstrando que a rivalidade contagiou as arquibancadas.

Outro fã perguntou se, quando Aldo perder, deixará de ser “uma bicha” e vai subir para o peso-leve. Dana White, presidente do Ultimate, pediu outra pergunta, mas McGregor interferiu.

– É uma pergunta válida, na realidade! Gostaria de saber a resposta também! Por que a luta contra Pettis não aconteceu? Era uma superluta, mas ele estava com medo e não subiu.

O clima hostil entre os atletas, inclusive, ofuscou as presenças de Robbie Lawler, campeão do peso-meio-médio, e do desafiante Rory MacDonald, que farão a co-luta principal do UFC 189. Apesar da promessa de um grande combate, eles foram pouco acionados pelo público

Leia também:  Luverdense fica no empate com o Paraná
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.