Único tetracampeão em atividade na Fórmula 1, Sebastian Vettel revelou que tinha o desejo de conversar seriamente com Michael Schumacher, um de seus mentores no automobilismo, sobre a saída da RBR e a consequente ida para a Ferrari nesta temporada. Após três corridas, o alemão subiu ao pódio em todas as disputas, chegando à vice-liderança do campeonato e abrindo três pontos de vantagem sobre seu compatriota Nico Rosberg.

– Eu adoraria ter conversado com ele porque foi uma decisão muito difícil. E eu já tinha falado com ele sobre isso antes. Às vezes era de brincadeira, mas às vezes era sério. Eu acho que sinto muita falta simplesmente porque eu sabia que ele me diria a verdade sobre o que pensava. A honestidade que ele tinha ao me dar conselhos durante os anos é provavelmente a coisa mais especial. Ele era muito atencioso e honesto sobre tudo o que envolvia a Fórmula 1, como por exemplo, o lado dos negócios, a experiência dele e as lições que ele aprendeu. É obviamente isto tudo que sinto falta – recordou o piloto, em entrevista ao jornal britânico “The Telegraph”.

Leia também:  Mixto, Dom Bosco e Cacerense viram adversários diretos do União na Copa Federação

Discípulo do heptacampeão mundial, o atual piloto da escuderia italiana se lembrou ainda dos anos em que assistia o ídolo como apenas mais um admirador do ex-piloto da Ferrari, que se acidentou no final de 2013, em uma estação de esqui, nos Alpes Franceses.

– Há uns 15 ou 20 anos atrás, eu estava parado em frente aos portões de Maranello e não meu permitiam que entrasse para vê-lo. Eu era como qualquer outro fã que tentava encontrá-lo. Mas agora que as portas finalmente se abriram, eu sou o único piloto que passa pela pista – observou o alemão, segundo colocado no Mundial de Pilotos, com 55 pontos.

Leia também:  MT fatura ouro e prata na luta olímpica dos Jogos Escolares

O tetracampeão mundial nunca escondeu que seu grande sonho era defender a Ferrari. Schumacher, que se converteu em sinônimo da escuderia italiana durante sua vitoriosa passagem pelo time, viria a se tornar o grande incentivador da carreira do compatriota no automobilismo. Os pilotos alemães também formaram a dupla mais vencedora da história da Corrida dos Campeões, colocando a Alemanha no topo da Copa das Nações em seis edições. Após o grave acidente de esqui que deixou o ex-piloto em coma, Vettel divulgou diversas mensagens de apoio e admiração ao ídolo.

Se quiser igualar os feitos do mentor e ídolo, Vettel ainda terá que fazer muitos pontos e conquistar mais vitórias na carreira. A próxima chance que o tetracampeão mundial terá para se aproximar do heptacampeão será neste final de semana, quando a Fórmula 1 aterrissa no Oriente Médio para a disputa do GP do Bahrein. A prova será a quarta da temporada e a primeira etapa noturna do calendário.

Leia também:  União tem estreia contra o Dom Bosco confirmada
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.