A situação de Jon Jones se complicou de vez. Depois de provocar um acidente de trânsito e fugir do local sem prestar socorro às vítimas, incluindo uma grávida que teve o braço quebrado, o atleta sofreu dura punição do UFC, nesta terça-feira. A organização retirou o cinturão de “Bones”, o suspendeu por tempo indeterminado e o removeu do card do UFC 187, programado para 23 de maio em Las Vegas. Ele será substituído por Daniel Cormier, que agora fará a luta principal do evento contra Anthony Johnson, em disputa válida pelo título da categoria.

Uma reunião envolvendo Jones, Dana White – presidente do Ultimate –  Lorenzo Fertitta – um dos donos da organização- , e Lawrence Epstein – vice-presidente executivo do UFC –  selou a exclusão do atleta do evento na noite desta terça-feira. A notícia foi anunciada pelo próprio Dana no programa “Fox Sports Live”, nos EUA:

Leia também:  Brasileira leva ouro em natação e se torna a 1° campeã mundial do país

– Jones não falou muita coisa na nossa reunião, claro que tem muita coisa para resolver agora. Seu advogado não o deixou falar muito, mas nós queríamos saber os fatos reais, porque muita coisa foi dita sobre o que aconteceu e havia muita especulação. Nós queríamos saber o lado do Jones da história – declarou Dana.

O mandatário também afirmou que o lutador está bastante chateado com a situação.

– Claro que ele está muito desapontado e chateado. Jones queria ser reconhecido como um dos melhores da história, está desapontado, mas fizemos o que tínhamos que fazer. Para nós, isso não é algo legal de se fazer, mas o show precisa continuar. Cormier estava muito empolgado para essa oportunidade – completou.

Logo após o anúncio, o UFC divulgou um comunicado oficial sobre a situação do lutador:

Leia também:  Jogador revelado pelo REC marca contra o Flamengo

“O UFC anuncia que está suspendendo Jon Jones por tempo indeterminado e retirando o seu cinturão peso-meio-pesado como resultado das violações ao código de conduta da nossa organização. Jones foi recentemente preso em Albuquerque com uma acusação de crime por fugir do local do acidente envolvendo uma pessoa ferida. Como resultado dessa acusação e de outras violações do nosso código de conduta, a organização acredita que é melhor conceder tempo ao Jones para que ele foque nas suas pendências legais.

O UFC sente fortemente que os atletas precisam seguir algumas normas dentro e fora do octógono. Embora haja um certo desapontamento nesses acontecimentos recentes, a organização continua apoiando o Jones enquanto ele estiver passando por esse processo legal.

Com essa decisão, o UFC determinou que o desafiante número um, Anthony Johnson, passa a enfrentar o terceiro colocado, Daniel Cormier, pelo cinturão dos meio-pesados no UFC 187, dia 23 de maio, em Las Vegas”

Leia também:  União, mesmo com derrota, avança e joga de novo contra o Dom Bosco

Jon Jones era o detentor do cinturão dos meio-pesados desde março de 2011. Dentro do octógono, ele seguia em grande fase, porém, na vida pessoal, o panorama é outro. O americano foi flagrado no exame antidoping por uso de cocaína em janeiro deste ano e, esta semana, envolveu-se no acidente automobilístico.

Por conta do acidente, o lutador foi detido na noite de segunda-feira, e liberado três horas mais tarde após pagamento de fiança. Uma das vítimas, uma mulher grávida de 20 e poucos anos, sofreu uma fratura no braço e Jones fugiu a pé do local da ocorrência. No carro alugado que dirigia, que ficou destruído, foram encontrados maconha e um depurador para consumo da droga, além de documentos do lutador.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.