Um espera a pior prova do ano. O outro, a melhor dos próximos meses. A expectativa dos brasileiros para a sexta etapa do Mundial de Fórmula 1, que será disputada em Mônaco, não poderia ser mais diferente. Felipe Massa revelou ao UOL Esporte que espera sofrer devido às características da pista – ainda que há quem pense o contrário dentro de sua própria equipe.

“Tomara que eu esteja errado, mas acho que será a pior prova. Talvez os engenheiros pensem que as dificuldades serão menores. Mas eu acho que Mônaco deve ser a pior pista para a gente, pensando na maneira como nosso carro funcionou na maioria das corridas até agora e lembrando as dificuldades que tivemos ano passado – e o carro desde ano não é tão diferente de 2014.”

Na última temporada, a Williams teve um final de semana apagado em Mônaco e Massa terminou apenas em sétimo. Porém, o rendimento que o carro demonstrou no trecho mais lento do palco da última prova, disputada na Espanha, animou os profissionais da equipe.

“Os engenheiros acham que não será tão difícil porque o carro se comportou bem em Barcelona no último setor – que é o mais parecido com Mônaco. Vamos ver quem tem mais razão. Tomara que sejam eles.”

Massa, contudo, espera que as dificuldades terminem após Mônaco. O brasileiro, que deverá contar com um extenso pacote de mudanças em sua Williams a partir da etapa seguinte, no Canadá, lembra que as características das pistas que vêm a seguir são favoráveis para seu carro. E crê, inclusive, que será possível almejar resultados melhores do que a equipe vem tendo até agora – os melhores foram quartos lugares tanto do brasileiro, quanto de seu companheiro, Valtteri Bottas. “Depois de Mônaco, há muitas pistas muito boas para a gente e acredito que nosso carro possa ter resultados até melhores do que vem tendo até agora.”

Nasr espera melhora

Depois de sofrer nas últimas provas com a falta de pressão aerodinâmica e a consequente queda no rendimento e aumento no consumo de pneus de sua Sauber, Felipe Nasr acredita que as características da pista de Mônaco ajudarão a equipe a mascarar as deficiências do carro.

Na Espanha, o brasileiro explicou que corre “praticamente com o mesmo carro da primeira prova”, enquanto os demais melhoraram. Porém, o traçado distinto do Principado pode mudar o cenário, pelo menos temporariamente.

“Mônaco talvez possa ser nossa melhor corrida até o carro ser atualizado, o que deve acontecer só na Bélgica [em agosto]. Isso porque nosso carro tem um potencial maior nas curvas de baixa velocidade. E Montreal talvez, pelas longas retas e curvas de baixa velocidade também, pode ser uma pista boa para o carro”, acredita.

Os treinos livres para o GP de Mônaco começam na quinta-feira, às 5h pelo horário de Brasília. A prova será às 9h no domingo. Após cinco etapas, Hamilton lidera com 20 pontos de vantagem para Rosberg.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.