Uma tecnologia inovadora no Brasil pretende conectar comunidades sem acesso à internet por meio de celulares simples e até mesmo telefones públicos. O sistema chamado VOJO possibilita a transmissão de informações sem precisar acessar a internet ou estar conectado a computadores. Tudo isso, somente por meio de um número 0800. O projeto quer formar líderes comunitários em cinco capitais do país. Salvador vai sediar a primeira oficina, a primeira experiência na América do Sul.

O sistema nasce o anseio de dar voz para a população e, para isto, permite postagem em blogs e redes sociais por meio de celular básicos ou até mesmo de telefones públicos. Essa é uma ferramenta muito útil para comunidades indígenas, quilombolas, assentamentos rurais e outros. Com ela, a comunidade não precisa de mediação para fazer com que sua voz seja ouvida, o projeto vai à base da pirâmide social visando a democratização da comunicação.

Leia também:  Governo desbloqueia R$ 12,8 bilhões do Orçamento

O projeto, promovido pelo Instituto de Mídia Étnica (IME), com apoio da Fundação Ford, foi lançado na semana passada na Bahia. Além de Salvador, líderes comunitários de outras quatro capitais brasileiras (São Luís, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo) terão oportunidade de aprender a utilizar o sistema que permite postagem de conteúdo utilizando aparelhos celulares simples mesmo sem acesso à Internet. Essa tecnologia foi criada por pesquisadores vinculados ao Media Lab do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), prestigiada universidade dos Estados Unidos.

A primeira oficina-piloto do VOJO aconteceu no final de 2014 na Ilha de Maré, distrito de Salvador, localizada na Bahia de Todos-os-Santos. Jovens, marisqueiros e líderes quilombolas da região tiveram contato com a tecnologia e produziram as primeiras matérias denunciando, inclusive, ameaças de poluição ambiental provocadas por navios petroleiros.

Leia também:  Paciente morre após ser atingida na cabeça por aparelho hospitalar

Depois de ser lançado em Salvador, o IME vai oferecer oficinas do VOJO em São Paulo e em mais três capitais.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.