Enquanto o futuro de Kimi Raikkonen na Ferrari ainda não está garantido para o ano que vem, Sebastian Vettel já demonstrou que torce pela manutenção de seu companheiro na equipe italiana para a próxima temporada da Fórmula 1. O piloto alemão declarou que está “bem feliz” com o fato de Kimi ser seu parceiro no time de Maranello, ainda que o experiente competidor não esteja em uma boa fase.

– Penso que Raikkonen sabe quem ele é e o que ele quer. Por isso, acho que essas coisas não são importantes. Como já disse, há um respeito imenso entre nós. É muito simples: não há complicações de qualquer natureza para trabalhar com ele, já que Kimi é muito direto. Estou bem feliz com ele – afirmou o tetracampeão mundial.

Nas duas últimas etapas da categoria, Raikkonen teve um resultado muito abaixo do esperado, fazendo com que sua permanência na Ferrari começasse a ser questionada nos bastidores. Além de abandonar logo na primeira volta do GP da Áustria, o finlandês de 35 anos foi incapaz de segurar a 3ª colocação conseguida na classificação do Canadá, tendo sido ultrapassado por seu compatriota Valtteri Bottas.

Leia também:  Colorado vence fora de casa e ganha moral na Copinha

– As últimas corridas (Áustria e Canadá) foram ruins para ele. E é normal que você seja criticado imediatamente na F-1. Eu tive quatro anos fenomenais na RBR e um em que muitas coisas aconteceram, muitas coisas quebraram no carro e onde eu cometi um monte de erros. E eu fui criticado. Agora as coisas estão mudando mais uma vez – analisou Vettel, que lembrou a última temporada do campeonato, em que foi surpreendido por Daniel Ricciardo. Naquele ano, o australiano fazia sua estreia na equipe RBR, após quatro títulos consecutivos do alemão na escuderia austríaca.

Atualmente na 5ª colocação no Mundial de Pilotos, com 72 pontos (48 de desvantagem para Vettel), o “Homem de Gelo” parece não estar desesperado por permanecer no paddock vermelho na próxima temporada, ainda que também não esconda o amor que sente pela Fórmula 1.

Leia também:  Times de Mato Grosso vão mal na rodada de final de semana

– As coisas nem sempre estão em nossas mãos. Eles têm um contrato desde que eu assinei. Cabe a eles assiná-lo ou não assiná-lo. Não estaria aqui hoje ou em alguma outra competição se não amasse a Fórmula 1. Mas não é tão legal quando você tem fins de semana como o último. E não é a primeira vez que isto acontece, mas espero que seja o último. Só que as coisas dão errado às vezes – disse o finlandês.

Campeão mundial em sua primeira passagem pela Ferrari – entre 2007 e 2009 – o finlandês não consegue uma vitória na principal categoria do automobilismo desde 2013, quando venceu o GP da Austrália competindo pela Lotus.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos

– Eu não preciso estar aqui. Posso ir embora quando eu quiser, mas é óbvio que meu objetivo é fazer o melhor trabalho para mim e para a equipe. Tenho certeza que a Ferrari será um dos times a ser batidos no future e já teremos uma história bem diferente para contar – comentou Kimi.

Para garantir sua vaga na Fórmula 1 em 2016, o finlandês da Ferrari precisará somar mais pontos na tabela. A próxima chance que o “Homem de Gelo” terá para pontuar no campeonato vai ser neste fim de semana, no tradicional circuito de Silverstone, na Inglaterra.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.