Foto: Manuela Cavadas/PrimaPagina/Divulgação
Foto: Manuela Cavadas/PrimaPagina/Divulgação

Acelino Popó Freitas, 39 anos, decidiu que não limitará a segunda volta aos ringues às três lutas idealizadas para este ano, a primeira delas no próximo dia 15, contra o argentino Mateo Veron, em Santos, pela categoria médio-júnior (63,5 kg). Ao Terra , o pugilista contou que voltará a disputar o título mundial, o quinto de sua carreira, no próximo ano pela Organização Mundial de Boxe (OMB). A categoria já está decidida, será na dos meio-médios (66,7 kg), a mesma de Floyd Mayweather e Manny Pacquiao.

“Esse é por mim mesmo”, disse o pugilista, antes de emendar: “(a disputa por) um título mundial não é tão difícil pelo fato de ter sido quatro vezes campeão, por duas organizações diferentes. Voltando agora, com o mundo sabendo por estar em todos os lugares, a possibilidade de disputar um título é fácil. É muito simples se ranquear, não tem tanta dificuldade. O negócio é mostrar que voltei bem, dar credibilidade a essa minha volta. Voltando bem, fazendo uma boa luta, principalmente por ser a primeira, as coisas acontecem”.

Leia também:  União vence e assume liderança da Copa FMF

Popó é tetracampeão mundial por duas organizações diferentes (dois títulos pela categoria super-pena e dois como peso-leve) e fará a sua segunda volta aos ringues, após parar em 2007. A primeira foi há três anos, em 2012, recheada por polêmicas declarações, contra Michael Oliveira, a quem derrotou por nocaute.

Popó não descartou uma futura luta por cinturão, mas avisou que “não levantará o nome” de entidades secundárias, citando, inclusive, ter rejeitado um convite da World Boxing Federation (WBF).

A principal motivação se dá pelos resultados nos treinamentos para a preparação para a luta da próxima semana. Popó está em Santos há cerca de três meses, treinando seis vezes por semana.

Leia também:  União e Cuiabá ficam no empate Luthero

“(Repensei sobre a possibilidade) pelos resultados dos meus treinamentos, o corpo está respondendo bem. Nos sparrings, também, mesmo contra garotos mais jovens que eu e invictos. Isso nos dá capacidade, tranquilidade e confiança. Se aqui no treino com luva maior, protetor de cabeça, calor pra caramba, estou conseguindo superar um menino 16 anos mais novo que eu, invicto com 11 lutas, dá para chegar lá e fazer bonito”, afimou.

Popó fará mais duas lutas neste ano, provavelmente em setembro, em Manaus, e depois em dezembro, em Campo Grande. “Sinceramente? Nunca temi e não temo nenhum tipo de surpresa porque me preparo para isso, não brinco. Boxe não é brincadeira. A primeira luta que fizer já me ranqueia. Quero voltar como meio-médio, na categoria de Pacquiao e Mayweather”, concluiu.

Leia também:  Rodada "madrasta" coloca Luve de volta ao Z-4

Popó já viu o desejo de lutar com Pacquiao frustrado por uma bolsa 25 vezes superior a maior de sua carreira, exigida pelo então promotor do filipino. Ao todo, o atleta, que encerrou em 1999 um enorme jejum de grandes conquistas brasileiras no boxe, tem um cartel de 39 vitórias, 33 delas por nocaute, e apenas duas derrotas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.