Wesley Alves Madureira
Foto: divulgação / PJC

Um jovem identificado como autor do homicídio da avó em Alto Araguaia (1.200 km a Nordeste) foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na terça-feira (13.08), poucas horas após o crime. Durante o depoimento na Delegacia de Alto Araguaia, Wesley Alves Madureira, 18, confessou a autoria do crime e foi autuado por homicídio qualificado.

A vítima, Neuza Davi Alves, 63, foi morta com várias pancadas na cabeça. O crime aconteceu na noite de segunda-feira (11.08), dentro da casa onde morava com o neto, no Bairro Vila Aeroporto, em Alto Araguaia.

As investigações iniciaram logo após o crime, quando a equipe da Polícia Civil foi acionada. No local, o neto da vítima foi ouvido informalmente e disse que trabalhou o dia inteiro e quando chegou a casa chamou pela avó que não atendeu. Depois, o suspeito foi à casa de parentes vizinhos, para saber se avó teria deixado uma chave para ele.

Leia também:  Vítima é amarrada por trio em tentativa de roubo no Moradas do Parati

O jovem foi conduzido a Delegacia de Alto Araguaia e em depoimento apresentou contradições que levantaram a suspeita da autoria do crime. De acordo com a Polícia, quando o acusado procurou pelos parentes, já havia cometido o homicídio e com a ação estava tentando esconder a autoria do crime.

Um dos fatos que chamou a atenção da Polícia é que a porta dos fundos da casa estava aberta, como ele tinha livre acesso a casa, uma vez que morava lá, não tinha motivos para chamar a avó ou procurar os parentes vizinhos.

Na terça-feira (12), o acusado decidiu confessar a autoria do crime e contou que a avó ficou esperando por ele, dentro da casa toda escura e o pegou pelo braço para saber se ele estava usando drogas. Ele alegou ter empurrado a avó, que caiu no chão e bateu a cabeça. Mas os ferimentos apontam que ele utilizou algum objeto firme para aplicar os golpes na cabeça além de ela apresentar mordidas e outras lesões pelo corpo.

Leia também:  Dois homens são presos depois de abusarem de um menino de 6 anos em Cuiabá

Participaram do esclarecimento do crime, a escrivã, Juliana Adélia de Barros Lima Verde, os investigadores José Alfredo Gomes de Oliveira e Cristóvão Gomes Peixoto, coordenados pelo delegado José Mauro Dias de Souza.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.