Foto: ilustrativa
Foto: ilustrativa

Fruto de exploração ilegal, 87m³ de madeira serrada apreendidos no posto fiscal do Rio Corrente em Itiquira pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (INDEA) e Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema/MT), em cumprimento ao Termo de Cooperação Técnica 010/2013, foram doados para três instituições de caridade em Rondonópolis: Casa Esperança, Comunidade Terapêutica Divina Providência e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).

A solicitação para a doação da madeira foi feita pelo deputado estadual Ondanir Bortolini (PR), Nininho, ao juiz Marcelo Sousa Melo Bento de Resende da Vara Única de Itiquira (380km de Cuiabá) para que atendesse as entidades beneficentes.

“São entidades sem fins lucrativos e que ajudam muito a população carente da nossa cidade. É o mínimo que nós parlamentares temos que fazer para cumprir bem o nosso papel como parlamentar e como cidadão”, destaca Nininho.

Leia também:  Alto Araguaia | Exportação cai 11% no mês de julho

Dirigida por Abadia Rosa de Miranda, a Casa Esperança presta serviço de assistência a moradores de rua e os ajuda na reinserção no meio familiar e social. A instituição recebeu a doação de 25,120m³ de madeira (Angelim-pedra) e já vendeu o produto por R$ 26.000.

A Casa Esperança também possui uma sede na zona rural, que fica 20 km de Rondonópolis, e não possui água corrente, o que dificulta muito a vida de todos que moram e trabalham no local.
“Com esse dinheiro vamos furar um poço artesiano para nosso consumo e para o cultivo da horta”, revela Abadia. “A ajuda do deputado Nininho foi essencial, sem ele não conseguiríamos o benefício. O Nininho já é nosso padrinho e nos ajuda há muito tempo”, ressalta.

Leia também:  Mato Grosso | No 1º trimestre do ano, 348 motoristas tiveram a CNH suspensa pelo Detran

Marco Túlio Duarte Soares é presidente da Comunidade Terapêutica Divina Providência que assiste pessoas que são dependentes químicos (drogas e álcool). A entidade recebeu 29,499m³ de madeira apreendida, Marco Túlio Afirma que conseguiram negociar o produto por R$ 23.000.

“Vamos ampliar a pocilga que já possuímos, profissionalizando nossa criação de suínos para o abate e a produção de carne defumada, gerando, assim, renda para nossa comunidade. Essa mediação que o deputado Nininho fez com a comarca de Itiquira foi de extrema importância para nós. Posso afirmar que o deputado Nininho é um político que cumpre o que promete, e ele prometeu nos ajudar e o resultado está aí”, afirma Soares.

Já a APAE recebeu 32,350m³ da madeira apreendida e está em negociação. Segundo a diretora da entidade, Karla Paes, o dinheiro da venda será usado para as despesas diárias como: alimentação e gasolina.
O Deputado Nininho nos levou para falar pessoalmente com o juiz, responsável pelos produtos apreendidos, e explicar a nossa situação, a resposta veio de imediato. Só temos a agradecer a generosidade de todos”. “Essas doações ajudam muito porque nós vivemos justamente delas, não temos como pagar tudo o que mantemos”, finaliza Karla.

Leia também:  Seduc vai avisar os pais por meio de SMS quando alunos faltarem à aula

A prestação de contas será de responsabilidade da instituição beneficiada e terá que ser por meio contábil e, se possível, por fotografias, durante a audiência pública de prestação de contas que se realizará em novembro deste ano na Comarca de Itiquira.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.