MunizFoi aberta na manhã desta segunda-feira (19) a 1ª Feira de Ciências, Tecnologia e Inovação – Feciti na Feira da Vila Aurora, com a presença da Prefeitura de Rondonópolis, organizadora do evento, e parceiros. O horário de visitação é das 8h às 17h.

Além dos stands em parceria com o Sebrae, está acontecendo a realização de quatro clínicas. O evento conta ainda com palestras e os visitantes terão a oportunidade de votar nos melhores projetos e concorrerão a cinco tablets.

Segundo o prefeito Percival Muniz essa é a oportunidade para as pessoas que estão na universidade e nas escolas de mostrarem seus projetos e talentos para investidores e sociedade rondonopolitana. “O município precisa propiciar, fomentar, ajudar, servindo de alavanca para o desenvolvimento. Rondonópolis que tem tantas universidades e escolas não pode deixar de ter esse instrumento de desenvolvimento que é sua Feira de ciência, tecnologia e inovação, principalmente pelo mundo moderno que vivemos hoje”, comenta.

Leia também:  Preço da gasolina e do diesel deve aumentar nas refinarias do País nesta terça

A secretária do Gabinete de Desenvolvimento Econômico do Município, Stefânia Pasqualotto, agradeceu ao prefeito Percival Muniz pela confiança e também aos parceiros pelo apoio ao evento. “Temos trabalhado para apresentar Rondonópolis como uma cidade inovadora, e mais criativa. O objetivo da Feira é de unir inventores e empresários chamando a atenção de investidores para os projetos apresentados”, disse.

Entre os projetos expostos na Feira, os alunos de técnica em automação industrial do Senai apresentaram aos visitantes a robótica lego. Segundo os alunos o sistema consiste em duas partes, a física onde a montagem das peças pequenas é realizada através de apostilas, e a de programação onde os robôs são planejados, agindo da forma que os alunos programarem. “Com a Feira temos a oportunidade de mostrar como a programação na robótica lego é muito simples. E por ela ser de fácil compreensão acaba atraindo tanto crianças como adultos”, comenta o aluno Samuel Irineu.

Leia também:  Conferência de Avaliação do Plano Estadual de Educação define metas para os próximos dez anos
Foto: assessoria
Foto: assessoria

Uma nova forma de captação de energia solar para aquecimento da água através de materiais reciclados foi um dos projetos apresentados pelos participantes. O protótipo de placa térmica caseira tem o intuito de substituir a energia elétrica por uma fonte sustentável. O objetivo dos alunos é mostrar os benefícios da energia solar e reciclagem dos materiais sem métodos industriais, gerando economia de energia e consequentemente financeira.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.