Foto: assessoria
Foto: assessoria

Atendendo uma solicitação do presidente do legislativo municipal, vereador Lourisvaldo Manoel de Oliveira (Fulô), a secretária municipal de saúde Marildes Ferreira, recepcionou os vereadores na manhã desta quinta-feira (15), para uma visita às obras da UPA – Unidade de Pronto Atendimento de Rondonópolis.

Iniciada ainda na gestão anterior, a obra da UPA de Rondonópolis foi conceituada pelo Ministério da Saúde como de nível III, e ocupa uma área de 5.199,29 m2, com 3.121,69 m2 de área edificada. A obra foi orçada inicialmente em R$ 2 milhões e ao seu término, deverá custar aos cofres públicos, cerca de R$ 3 a 4 milhões (edificação e equipamentos) – com recursos do Governo Federal, mais a contrapartida do município.

Depois de pronta, a Unidade deverá atender a uma demanda de 850 a 1,1 mil atendimentos/dia nos casos de baixa e média complexidade e deverá ter uma despesa de custeio da ordem de R$ 1,7 milhão. Os casos classificados como de risco e alta complexidade (traumas de crânio, entre outros), continuarão a ser encaminhados para o Hospital Regional.

Leia também:  Sebastião Rezende busca dar celeridade em construção do Ganha Tempo

A secretária ciceroneou a visita dos vereadores, respondeu às perguntas sobre cada dependência da unidade, mostrou as instalações e falou sobre as adequações de projetos que foram, e estão sendo feitas para que sejam atendidas as exigências do Ministério da Saúde.

Na UPA, vão funcionar simultaneamente o Pronto Atendimento Infantil e Adulto, mas com entradas e instalações separadas, como exige o protocolo do MS.

Após a inauguração prevista para dezembro desse ano, as unidades do PA e PA Infantil, serão readequadas e passarão a ser unidades de internação como estruturas de apoio a UPA. No atual PA (adulto), deverão ser disponibilizados 50 leitos entre cirúrgicos e clínicos. E no PA infantil (pediatria) 20 leitos.

Na UPA vão funcionar, salas de recepção, classificação de risco (triagem), consultórios médicos, salas de estabilização (traumas e urgências clínicas), observação/internação de até 24/horas, salas de isolamento, centrais de gases (ar comprimido, rede vácuo e oxigênio), salas de imagens/esterilização (Raios-X, e ultrassom), gesso etc.

Leia também:  Em troca de incentivos fiscais, Silval Barbosa revela que cervejaria doou cerca de R$ 2 milhões

Segundo informações do enfermeiro responsável pelo acompanhamento do projeto, André Luiz Sabino, os atuais servidores do PA (técnicos, médicos, administrativo etc.), deverão ser aproveitados/remanejados para a UPA, devendo ainda esses números serem ampliados, dada às necessidades e novas demandas geradas. Na verdade, tudo vai depender da flexibilidade dos plantões e escalas de trabalho na nova unidade.

Para o vereador Fulô, essas visitas às obras públicas que estão sendo realizadas no município, tem o objetivo de atender a função dos vereadores, que é a de fiscalizar e acompanhar as atividades do poder executivo, sobretudo, para dar satisfação às comunidades, sobre o que acontece nessas obras, onde muitas delas se encontram paradas ou sendo tocadas em ritmo lento.

Leia também:  Sebastião Rezende discute readequações na BR-364 em visita ao Dnit

“As pessoas querem saber quanto está sendo gasto nessas obras, de onde vem o dinheiro, e o mais importante: quando serão inauguradas. Isso é um direito de todo mundo. E nós vereadores também queremos saber como está o andamento dessas obras”, repassou o vereador.

Os vereadores ficaram bem impressionados com o tamanho da UPA e a complexidade das instalações que vão atender às demandas de saúde da cidade e região.

Participaram da visita, os vereadores Fulô, Ibrahim Zaher, Mazete, Cido Silva, Dr. Manoel, Cláudio da Farmácia, Thiago Silva, Marcelo Marques, Fábio Cardozo, Mauro Campos, Reginaldo Santos e Jailton do Pesque Pague.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.