Foto: assessoria
Foto: assessoria

Atendendo uma solicitação do presidente do legislativo municipal, vereador Lourisvaldo Manoel de Oliveira (Fulô), a secretária municipal de saúde Marildes Ferreira, recepcionou os vereadores na manhã desta quinta-feira (15), para uma visita às obras da UPA – Unidade de Pronto Atendimento de Rondonópolis.

Iniciada ainda na gestão anterior, a obra da UPA de Rondonópolis foi conceituada pelo Ministério da Saúde como de nível III, e ocupa uma área de 5.199,29 m2, com 3.121,69 m2 de área edificada. A obra foi orçada inicialmente em R$ 2 milhões e ao seu término, deverá custar aos cofres públicos, cerca de R$ 3 a 4 milhões (edificação e equipamentos) – com recursos do Governo Federal, mais a contrapartida do município.

Depois de pronta, a Unidade deverá atender a uma demanda de 850 a 1,1 mil atendimentos/dia nos casos de baixa e média complexidade e deverá ter uma despesa de custeio da ordem de R$ 1,7 milhão. Os casos classificados como de risco e alta complexidade (traumas de crânio, entre outros), continuarão a ser encaminhados para o Hospital Regional.

Leia também:  Maluf questiona necessidade de criação de novo fundo estadual

A secretária ciceroneou a visita dos vereadores, respondeu às perguntas sobre cada dependência da unidade, mostrou as instalações e falou sobre as adequações de projetos que foram, e estão sendo feitas para que sejam atendidas as exigências do Ministério da Saúde.

Na UPA, vão funcionar simultaneamente o Pronto Atendimento Infantil e Adulto, mas com entradas e instalações separadas, como exige o protocolo do MS.

Após a inauguração prevista para dezembro desse ano, as unidades do PA e PA Infantil, serão readequadas e passarão a ser unidades de internação como estruturas de apoio a UPA. No atual PA (adulto), deverão ser disponibilizados 50 leitos entre cirúrgicos e clínicos. E no PA infantil (pediatria) 20 leitos.

Na UPA vão funcionar, salas de recepção, classificação de risco (triagem), consultórios médicos, salas de estabilização (traumas e urgências clínicas), observação/internação de até 24/horas, salas de isolamento, centrais de gases (ar comprimido, rede vácuo e oxigênio), salas de imagens/esterilização (Raios-X, e ultrassom), gesso etc.

Leia também:  Câmara aprova projeto para consolidação de curso de direito da Unemat

Segundo informações do enfermeiro responsável pelo acompanhamento do projeto, André Luiz Sabino, os atuais servidores do PA (técnicos, médicos, administrativo etc.), deverão ser aproveitados/remanejados para a UPA, devendo ainda esses números serem ampliados, dada às necessidades e novas demandas geradas. Na verdade, tudo vai depender da flexibilidade dos plantões e escalas de trabalho na nova unidade.

Para o vereador Fulô, essas visitas às obras públicas que estão sendo realizadas no município, tem o objetivo de atender a função dos vereadores, que é a de fiscalizar e acompanhar as atividades do poder executivo, sobretudo, para dar satisfação às comunidades, sobre o que acontece nessas obras, onde muitas delas se encontram paradas ou sendo tocadas em ritmo lento.

Leia também:  Juíza revela que irá se aposentar nos próximos dias e segue negando candidatura

“As pessoas querem saber quanto está sendo gasto nessas obras, de onde vem o dinheiro, e o mais importante: quando serão inauguradas. Isso é um direito de todo mundo. E nós vereadores também queremos saber como está o andamento dessas obras”, repassou o vereador.

Os vereadores ficaram bem impressionados com o tamanho da UPA e a complexidade das instalações que vão atender às demandas de saúde da cidade e região.

Participaram da visita, os vereadores Fulô, Ibrahim Zaher, Mazete, Cido Silva, Dr. Manoel, Cláudio da Farmácia, Thiago Silva, Marcelo Marques, Fábio Cardozo, Mauro Campos, Reginaldo Santos e Jailton do Pesque Pague.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.