Além de estar operando sem licença de operação, o empreendimento instalado em Poconé estava com fissuras e deficiências na barragem de rejeitos que ofereciam riscos de ruptura - Foto: Divulgação / Sema
O empreendimento estava com fissuras e deficiências na barragem de rejeitos que ofereciam riscos de ruptura – Foto: Divulgação / Sema

Um garimpo que funcionava ilegalmente no município de Poconé (318 km de Rondonópolis) foi multado em R$ 1 milhão por operar sem licença ambiental. O crime foi descoberto durante uma ação de fiscalização em empreendimentos realizada na última quinta-feira (10) por fiscais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

De acordo com o analista do Meio Ambiente da Sema, Mucio Teixeira, o garimpo possui licença de instalação, mas a licença de operação ainda não foi liberada.

Os fiscais também constataram que a barragem de rejeitos do empreendimento estava com fissuras e deficiências construtivas, potencializando assim o risco de ruptura, o que poderia atingir duas residências próximas ao local. Teixeira explica que a barragem estava em seu limite máximo e por isso o rejeito extravasava pelas laterais causando a degradação ambiental.

Leia também:  Alta Floresta | Cirurgia oftalmológicos na Caravana da Transformação começam nesta quinta-feira (08)

A área do empreendimento tem 14 hectares e a barragem ocupa de 3 a 5 hectares. Além de ser multado, o garimpo foi embargado, tendo que paralisar totalmente suas atividades até que se regularize com o órgão ambiental.

A ação resultou ainda na apreensão de duas pás carregadeiras, cinco caminhões, dois moinhos martelos e três de bola (um tipo de moedor de pedra) e cinco centrifugadores (equipamento utilizado em garimpo para fazer uma maior concentração de ouro).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.