Foto – Agência Senado
Foto – Agência Senado

Em atenção a diversos pedidos do senador José Medeiros (PPS-MT), o gerente executivo da superintendência do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) em Mato Grosso, Odair Egues, confirmou que a presidência do órgão encaminhou duas ações para solucionar problemas existentes na unidade do município de Rondonópolis.

A primeira delas será realização nos próximos dias de mutirão, durante um mês, com a participação de quatro médicos remanejados para o atendimento na cidade; a segunda, será a terceirização da perícia, com o treinamento de médicos já atuantes na localidade.

José Medeiros comemorou a notícia e confirmou que a promessa é de que a intensificação dos atendimentos já se inicie no próximo dia 29 de fevereiro. “Possivelmente, até o fim de março, vão se juntar ao único médico perito hoje atuante em Rondonópolis mais quatro profissionais para zerar esta fila. Os médicos são do próprio INSS que virão de outras praças para auxiliar e reprimir essas demandas”.

Leia também:  Ministro defende que medidas cautelares sejam mais utilizadas como alternativas às prisões

Sobre o credenciamento de médicos, o senador classificou como uma decisão acertada. “O superintendente deseja contratar de quatro a cinco médicos já atuantes na cidade, terceirizando o serviço de perícia, já que não há profissionais suficientes no quatro do INSS para preencher as vagas. A expectativa é que esta nova estrutura esteja em funcionamento até o meio do ano”, destacou o senador.

Odair Egues confirmou ainda que o instituto entende a urgência da situação, sobretudo por Rondonópolis ser um dos mais importantes polos do interior no Centro-Oeste. O gerente afirmou também que para o mutirão serão reagendadas perícias marcadas por cidadãos rondopolitanos em outras unidades.

“Muitas pessoas, mesmo sendo residentes em Rondonópolis, agendaram perícia na unidade de Cuiabá ou em outras pelo estado. Vamos identificar isso agora e marcar todo mundo para ser atendido nestes 30 dias de mutirão. Queremos atender mais de 1.200 pessoas”, estimou o gerente.

Leia também:  Curso é ofertado gratuitamente para o público LGBT

Perícia – José Medeiros participou efetivamente de cinco reuniões para tratar do tema em Brasília e na própria unidade de Rondonópolis, além de ter enviado ofícios pedindo providências ao Instituto. Para ele, o serviço de perícia ágil é o mínimo que o poder público pode oferecer aos trabalhadores.

“É vergonhoso não conseguirmos tratar com dignidade aqueles que emprestam sua vida para o progresso da cidade. Vamos continuar acompanhando, mas é claro que Rondonópolis precisa não só de mais médicos peritos, como também de uma estrutura física renovada e mais condizente com a importância do INSS”, frisou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.