Foto: Alexandre Durão/G1
Foto: Alexandre Durão/G1

A Mangueira venceu o carnaval carioca pela 18ª vez com 269,8 pontos. A verde-e-rosa homenageou a cantora Maria Bethânia, que já passou pelo sambódromo uma vez, quando a escola fez desfile sobre os Doces Bárbaros em 1994. Em segundo lugar ficou a Unidos da Tijuca, com 269,7 pontos.

A Estácio de Sá, que voltou ao carnaval da elite neste ano, foi rebaixada com 265 pontos. A escola exaltou São Jorge na avenida.

Na busca pelo título do Grupo Especial, que havia sido conquistado pela última vez em 2002, a Mangueira celebrou os 50 anos de carreira da cantora baiana, fechando a noite com um desfile de luxo e sofisticação, além da presença de muitos artistas. Já o enredo da Unidos da Tijuca foi “Semeando sorriso, a Tijuca festeja o solo sagrado”.

Leia também:  CPF passa a ser incluindo nas certidões de nascimento, casamento e óbito a partir desta terça

Bethânia e religião

O lado religioso da cantora foi uma inspiração forte para o carnavalesco Leandro Vieira. Nascida em Santo Amaro da Purificação, Bethânia é de família católica e iniciada no candomblé.

A comissão de frente era formada por 15 bailarinas negras com um figurino ousado, que fazia parte da coreografia e deixava os seios à mostra, como guerreiras Oyá – orixá relacionada à valentia.

A primeira porta-bandeira, Squel, apareceu “careca”, com uma touca de látex que cobria a cabeça. Ela se apresentou vestindo uma fantasia grandiosa representando o Axé do candomblé.

O carro abre-alas, que representa Oyá e Oxum, orixás muito presentes na vida de Bethânia, lançava jatos de água numa destaque fantasiada de Oxum, a deusa que habita as águas doces. Outro destaque alegórico foi o carro com um enorme carcará, ave que deu nome à música que projetou Maria Bethânia nacionalmente.

Leia também:  Adolescentes são apreendidos dentro de escola vendendo droga

Desfile estrelado

Muitos artistas, amigos e parentes de Bethânia, participaram do desfile – além da própria cantora. Um dos carros alegóricos veio estrelado, cheio de cantores e atores.
Entre eles estavam Caetano Veloso, irmão de Bethânia, e o filho dele Tom, Mart’nália, Adriana Calcanhoto, Chico César, Zélia Duncan, Lúcia Veríssimo, Regina Casé, Vanessa da Mata, Renata Sorah e Ana Carolina.

No chão e à frente do carro, foram Alcione, grande amiga de Bethânia, e Rosemary. No carro que representou a Bethânia católica, um dos destaques foi a sambista Beth Carvalho, mangueirense ilustre, que há dois anos não saía na escola. Também no chão, foram os atores Cauã Raymond e Aílton Graça – no segundo desfile da noite.

Leia também:  Michel Temer garante aumento em Bolsa Família no ano de 2018

Apuração e desfile das campeãs

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) sorteou na quarta (18) a ordem dos quesitos que tiveram os envelopes abertos com as notas da apuração do carnaval do Rio.

A ordem da abertura dos envelopes foi: samba-enredo, enredo, comissão de frente, fantasias, mestre-sala e porta-bandeira, harmonia, evolução, bateria e alegorias e adereços. Por isso, alegorias e adereços, o último critério a ser lido, foi o primeiro critério de desempate, seguido das notas de bateria.

As seis melhores colocadas voltam à Sapucaí no sábado (13), a partir de 21h, para o Desfile das Campeãs.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.