polícia civil
Foto: Assessoria

No 1º trimestre de 2016, a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), da Polícia Judiciária Civil, levou à prisão 109 criminosos em Cuiabá. Os presos são autores de roubos e furtos cometidos em residências, estabelecimentos comerciais e chácaras. As prisões foram em decorrência do cumprimento de mandados de prisão e autuações em flagrante.

Entre os casos investigados estão o roubo de mais de R$ 1 milhão em joias, assaltos à loja Havan, Santa Casa, Hipermercado Extra, casa lotérica, chácaras da zona rural da capital, furtos com arrombamentos de casas e veículos, latrocínio de segurança de um hotel, entre outros.

A delegada titular da Derf, Elaine Fernandes da Silva, destaca que houve um fortalecimento das investigações com a deflagração da operação Carga Máxima, da Secretaria de Estado de Segurança Pública, em fevereiro, na região metropolitana.

“São prisões resultados de investigações e levantamentos de inteligência que levarama identificação de criminosos que fazem roubos, principalmente, em residências e empresas”, salientou a delegada.

As investigações também confirmaram que as pessoas investigadas são contumazes na prática de crimes e agem com emprego de arma de fogo, violência e grave ameaça às vítimas. “Observamos que o período de permanência na prisão está sendo muito curto. Quando saem da cadeia voltam para o roubo, porque o lucro é o que importa. A Derf está prendendo, mas a permanência na prisão não é decisão da Polícia”, analisa Elaine.

Leia também:  Grupo invade bar e rende 8 pessoas durante assalto no Centro de Rondonópolis

Chácaras

Uma das quadrilhas desarticuladas tinha como especialidade roubar chácaras na zona rural. Nas investigações da Derf, mais de 30 roubos foram atribuídos aos suspeitos, William Moreira da Costa, Yuri Francisco da Silva, conhecido como “Jacaré, André Vinicius de Oliveira Domingos da Silva, Leonardo Victor Nunes da Silva, Clinjer Jordão da Silva e Carlos Henrique Oliveira do Espírito Santo. Todos foram presos no dia22 de fevereiro, cumprimento de mandados de prisão preventiva.

As investigações, iniciadas em agosto de 2015, esclareceram a autoria de vários assaltos praticados em propriedades rurais da região dos Distritos de Aguacú e Sucuri e no Ribeirão do Lipa. Os assaltantes invadiam os imóveis, geralmente com o rosto encoberto para dificultar a identificação durante a investigação da Polícia Civil. Nos depoimentos, as vítimas relatavam a agressividade dos bandidos. “Em um dos casos chegou a tirar sangue da vítima, de tanta violência”, disse a delegada Nubya Beatriz Gomes Reis.

O bando preso também foi responsabilizado por dois roubos na distribuidora de bebidas Ambev.

Havan

O roubo da loja Havan, em Cuiabá, culminou na prisão de quatro suspeitos. As investigações identificaram o envolvimento de um ex-funcionário no assalto, que teve a participação de pelo menos seis bandidos. O assalto aconteceu no dia 26 de fevereiro, na loja Havan da Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA). Quatro pessoas armadas, sendo três homens e uma mulher, entraram no estabelecimento, renderam o segurança e funcionários e levaram 95 aparelhos celulares de diversas marcas, avaliados em cerca de R$ 60 mil, além de R$ 3,1 mil, em dinheiro.

Leia também:  Agência Bancária tem paredes e tetos danificados durante assalto

Do lado de fora, outros comparsas davam apoio à ação, em um veículo Fiat Palio, com o rádio ligado na frequência do Ciosp para avisar sobre a aproximação da polícia. No dia 18 de março foram presos Carlos Alberto de Souza, 19, Hugner Higor Arruda Almeida, 18, o “Bofinha”, Jurandir José da Silva Neto, 19, o “Tucura” e Elen Caroline Brito Borges, 22, todos identificados como autores do roubo.

Joias

O líder da organização criminosa e dois comparsas foram indiciados pelo roubo de R$ 1 milhão em joias, ocorrido no dia 7 de janeiro, em um prédio na Avenida Presidente Marques, no bairro Santa Helena, na capital. Pelo crime foram presos por prisão preventiva Diogo Teles Catette, 25, Jeikson Pedro de Arruda, 24, e Jhonatan Alves Ventura.

Leia também:  Carga de carne avaliada em R$ 100 mil é roubada e motorista é rendido em Várzea Grande

De acordo com as investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos, Diogo é apontado como o líder da quadrilha. Era com ele que o assaltante Jeikson Pedro conversa ao telefone durante o assalto no apartamento. Diogo coordenava toda a ação pelo celular e também estava próximo ao prédio da vítima, em uma motocicleta pilotada por Jhonatan Alves Ventura.

Os presos, Jeikson, Diogo e Jhonatan Alves Ventura pertencem à mesma quadrilha investigada na operação “Sétimo Mandamento”, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrada em 2011 para desarticular uma organização criminosa que atuava em roubos na modalidade “saidinha de bancos”, assaltos em residências e comércios.

Santa Casa

Pelo assalto à Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, dois homens foram presos pela Derf. O assalto foi praticado no dia 09 de fevereiro por dois suspeitos armados. Eles abordaram o segurança e o recepcionista e depois foram até a tesouraria do Hospital, de onde roubaram R$ 10 mil em dinheiro e cheques, além de objetos pessoais de funcionários e pacientes. Os presos são Júlio César Ribeiro Nunes, 24, e Rafael de Souza Ferreira.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.