Os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Rodrigo Maia e Renan Calheiros, anunciaram na noite de terça-feira (19), após jantar com o presidente interino Michel Temer, a disposição de votar uma agenda de consenso das duas Casas e do Executivo, com o objetivo de enfrentar a crise econômica do País.

O jantar foi realizado no Palácio do Jaburu. Na saída, Rodrigo Maia e Renan ressaltaram que não há mais o clima de animosidade entre a Câmara e o Senado que impedia a votação de uma pauta consensual.

“O mais importante hoje não é a construção de uma pauta, mas de um consenso para trabalharmos em conjunto. É o que não vinha acontecendo há muitos meses na relação da Câmara com o Senado”, disse Rodrigo Maia.

Leia também:  Vereador Thiago Silva reivindica sinalização de trânsito no Jardim Serra Dourada

Ele reafirmou que será possível realizar votações no segundo semestre, apesar da campanha eleitoral nos municípios: “Se estivermos num clima de harmonia, teremos condições de votar muitas coisas. Em algumas semanas, vamos conseguir organizar a pauta em três dias, e quando chegarmos mais perto da eleição talvez em dois dias. O importante é que possamos produzir. Nós vivemos uma crise profunda e precisamos ajudar o Brasil a superar este momento.”

O presidente do Senado disse que Michel Temer está animado com a disposição do Legislativo em colaborar com o governo. “A sociedade cobrou bastante um bom relacionamento entre a Câmara, o Senado e o próprio governo, e agora o País vive este bom momento. Isso tranquiliza a sociedade”, reforçou Renan Calheiros.

Leia também:  Michel Temer admite possibilidade sobre aumento do Imposto de Renda

Segundo ele, a prioridade do Senado após o recesso será a votação da prorrogação da Desvinculação das Receitas da União (DRU), que permitirá, ao Executivo, usar livremente ate 30% da arrecadação federal. A matéria já foi aprovada pela Câmara.

Quórum e faltas
Em entrevista na manhã desta quarta-feira (20), repórteres perguntaram ao presidente Rodrigo Maia se haverá descontos nos salários dos parlamentares que faltarem às votações a serem convocadas para agosto. “É óbvio. Com pauta marcada, o deputado tem que estar presente. Em qualquer trabalho é assim. Se você marcou uma data para que os deputados estejam aqui para votar, é importante que todos votem. Não podemos deixar a Câmara parada com milhões de desempregados no Brasil”, respondeu Maia.

Leia também:  Pré-candidatura de Bezerra ao Senado, pode abrir espaço para Adonias
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.