Vanderlei Siles da ARSV é candidato a vereador pelo Solidariedade na Coligação Desenvolvimento para Todos. Natural de Campo Grande – MS está há 30 em Rondonópolis, onde consolidou sua família (esposa, dois filhos e quatro netos).  Veio a trabalho como mecânico de máquinas pesadas e não voltou mais para Campo Grande.

Sua visão foi embora em definitivo em 1990 em decorrência de um GLAUCOMA seguido de catarata. Sua esposa, dona Guilhermina,  foi fundamental para manter sua autoestima.

“Pensei que depois de cego não viveria mais, seria um fardo para minha esposa, que teria que cuidar de mim e dos meus dois filhos pequenos na época, 5 e 1 ano de idade apenas. Cheguei a pedir para ela me deixar em um asilo, mas ela não me abandonou, ficou do meu lado e me deu total apoio.” Diz Vanderlei.

Leia também:  Ex-ministro Geddel Vieira Lima é preso após descoberta de malas com R$ 51 milhões
Vanderlei Siles - Foto: Assessoria
Vanderlei Siles – Foto: Assessoria

Já conformado com a falta de visão, Vanderlei conheceu a Escola de Reabilitação Louis Braille, onde se matriculou para sem saber, começar uma nova vida. Na escola ele aprendeu novamente a ser independente.

Mesmo sem a visão, Vanderlei não teve dificuldades em empreender e em meados de 1992 ele abriu um pequeno comércio em sua residência, no bairro Jardim Tancredo Neves. A renda extra com a mercearia o ajudava a complementar sua aposentadoria de apenas um salário mínimo.

Permaneceu como comerciante no Tancredo Neves por mais de 15 anos, onde também exerceu a função de líder comunitário, sendo tesoureiro e vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro, lutando por melhorias para a região, como o transporte público, asfalto, infraestrutura e moradias para as famílias que necessitavam, solicitando junto ao Padre Lothar.

Leia também:  PP de Blairo pode receber grupo do PSB

Não satisfeito, Vanderlei também começou a batalhar por melhores condições de vida para os deficientes  visuais, quando junto com outros alunos da Escola Louis Braille, tomaram a iniciativa de fundar a ARDV (Associação Rondonopolitana de Deficientes Visuais), uma entidade sem fins lucrativos, com propósitos humanitários, sem vínculos político-partidários ou religiosos, voltada para a promoção da qualidade de vida das pessoas com deficiência visual, tendo como objetivo principal promover a integração e a inclusão dos deficientes visuais no mercado de trabalho, educação, cultura, esporte e lazer. Na ARDV foi também tesoureiro, vice-presidente e Presidente entre 2009 e 2013, hoje exerce a função de Secretário de Esportes da entidade e também Conselheiro no Conselho Municipal de Assistência Social – CMAS.

“Agora tenho a oportunidade de ser candidato a vereador na intenção de ajudar na administração da nossa cidade. Lutarei pela acessibilidade para todos, não só para os deficientes visuais, porque uma cidade acessível é uma cidade mais bonita. Estarei atento às necessidades de toda a cidade e fiscalizarei com a ajuda de toda a população as obras e melhorias realizadas aqui em Rondonópolis. Não podemos deixar, por exemplo, uma ponte como a da Dom Pedro II, ficar no estado que está, sem condições nenhuma para um cadeirante ou deficiente visual se locomover sem a ajuda de terceiros. Eu não enxergo, mas quem me conhece, minha família e amigos me falam. Como vereador, os olhos da população serão os meus olhos e meus ouvidos estarão sempre a disposição de todos.” Ressalta o candidato.

Leia também:  Taques diz que não descarta disputar reeleição
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.