Foto: BBC
Foto: BBC

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, disse que uma nova lei prevendo castração química e até execução de pedófilos poderá acabar de vez com crimes sexuais contra crianças no país.

Em entrevista à BBC, Widodo disse que a Indonésia respeita os direitos humanos, mas que “não fará concessões” para punir a pedofilia.
No início do mês, o Legislativo do país aprovou um controverso pacote de leis que autoriza punições para crimes sexuais.

As medidas incluem a castração química — processo em que um coquetel de drogas é ministrado para reduzir a libido e atividade sexual, sem esterilização ou remoção de órgãos. Médicos do país se opõem à aplicação dessa punição.
As alterações foram propostas por Widodo em maio, após o estupro coletivo e assassinato de uma menina de 14 anos. Houve, porém, intensos debates no Parlamento indonésio.

Leia também:  Argentina investiga evento "consistente com explosão" próximo a submarino

 

Widodo discorda. “Nossa Constituição respeita os direitos humanos, mas quando estamos falando de crimes sexuais não podemos fazer concessões. Somos fortes e seremos firmes. Aplicaremos a pena máxima para crimes sexuais”, disse.
“Na minha opinião, a aplicação consistente da castração química vai reduzir crimes sexuais e acabar com eles ao longo do tempo.”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.