Um amigo do ex-piloto de Fórmula-1 Michael Schumacher tentou vazar imagens inéditas do alemão após o acidente de esqui que o afastou da vida pública desde 2013. As informações são da rede de televisão alemã “RTL”. Segundo a reportagem, o indivíduo – que não foi identificado – fez fotografias de Schumacher deitado na cama de sua residência nos arredores de Lago Genebra, na Suíça, e ofereceu as imagens a veículos de imprensa europeus por 1 milhão de libras (cerca de R$ 4 milhões).

Imagem: schumacher
Reprodução

De acordo com o Ministério Público de Offenburg, cidade alemã onde foi registrada a denúncia, as imagens violam a “vida privada” de Schumacher, heptcampeão na Fórmula-1. As autoridades, no entanto, não apresentaram denúncia formal contra o responsável pelo vazamento até o momento. A tentativa de vender as fotos, a princípio, foi frustrada: segundo informações de jornais britânicos, nenhum veículo de imprensa aceitou comprá-las.

Leia também:  O Rico e Lázaro | Asher tira satisfações com Zac sobre a morte de Uriel

O estado de saúde de Schumacher é cercado de mistério desde o grave acidente de esqui sofrido em dezembro de 2013, em Méribel, na França. Na ocasião, o ex-piloto teve trauma grave ao bater a cabeça em uma pedra, e chegou a ficar seis meses em coma induzido por conta da batida.

A família do alemão optou por não revelar detalhes sobre sua recuperação, tampouco sobre possíveis sequelas do acidente. Em um raro comentário mais específico sobre o estado de saúde de Schumacher, em setembro, a empresária do ex-piloto Sabine Kehm veio a público para negar boatos de que ele já conseguia caminhar novamente.
Schumacher foi transferido há pouco mais de dois anos para uma residência de sua família em Lago Genebra, na Suíça, onde foi instalada uma unidade médica ao custo semanal de 115 mil libras (pouco mais de R$ 480 mil na cotação atual).

Leia também:  Rico e Lázaro | Nabucodonosor pede para Daniel interpretar seu sonho

Os familiares de Schumacher não quiserem divulgar imagens do ex-piloto, que estaria muito magro após o tratamento. O ex-chefe de equipe da Ferrari Ross Brawn, que trabalhou com Schumacher nos tempos aúreos do alemão na Fórmula-1, afirmou após uma visita em novembro deste ano que tinha esperanças de que o público pudesse, no futuro, voltar a ver Schumacher “da maneira como todos o conheciam”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.