Imagem: Juca Lemos
Juca Lemos – Foto: Ronaldo Teixeira/AGORAMT

Energisa lidera o “ranking” de reclamações feitas por clientes ao Procon, em 2016. O balanço aponta um número total de 6.313 reclamações, onde 708 são relacionadas a empresa de energia elétrica. As principais queixas são relativas as cobranças indevidas, como tarifas ou serviços sem prévio conhecimento do consumidor e até mesmo sem amparo legal. Telefônica/Vivo com 474 reclamações, Sanear com 214 e agências bancárias que figuram em torno de 374.

As queixas relacionadas à companhia de telefonia OI, ficou em terceiro lugar com 330, Caixa Econômica Federal em sétimo com 164 registros. Porém, a cada mês constata-se uma nova reclamação, pelo não cumprimento de oferta, seja pelo preço do serviço ou a qualidade que não são iguais aquelas anunciadas pela empresa.

Leia também:  Dia dos Pais | Rondonopolitano deve gastar entre R$ 50 e R$ 100 com presente

Segundo Juca Lemos Coordenador do Procon de Rondonópolis, no período de 2013 a 2016 foram aplicadas em torno de mais de 17 milhões em multas. “Das arrecadações tivemos mais de R$ 3 milhões e os demais milhões, um belo dia após as sentenças judiciais, serão recolhidos para os cofres do município.”

No levantamento de multas aplicadas a cada mês, estão companhias de ônibus, concessionárias, planos de saúde e supermercados, além de móveis, cartões de créditos, contratos e lojas de calçados, um total de 801 o número de fiscalizações feitas e 51 multas aplicadas.

Para o Coordenador do Procon existem recomendações a todos os consumidores e fornecedores. “Recorram aos seus direitos, nós conseguimos um canal de relação com as empresas, sem abertura de processo, e conseguimos reduzir junto ao Poder Judiciário um volume alto comparado ao que pegamos da gestão passada”, explica.

Leia também:  Névoa de fumaça assusta e incomoda moradores de Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.