Pessoas limpando e demarcando terrenos em área invadida - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Pessoas limpando e demarcando terrenos em área invadida – Foto : Messias Filho / AGORA MT

As 200 famílias que invadiram a área do antigo Ypê Tênis Clube, próximo à Vila Paulista na tarde desta terça-feira (27), em Rondonópolis, ainda estão alojadas no local e não pretendem sair tão cedo, sem líder do movimento, eles foram informados que se invadirem vão perder o nome da lista de cadastramento, como previsto em lei.

Segundo informações, o terreno está passando por um processo judicial pois foi uma troca feita pelo prefeito José Carlos do Pátio (SD), durante sua gestão em 2012, com uma empresa particular. Como o terreno onde é localizado o antigo clube não tem grande valor, já que por ele passa uma linha de alta tensão, o Ministério Público entrou com uma ação de reversão e o caso continua até hoje.

Leia também:  Área Social é destaque em audiência pública que discutiu projeto da LOA 2018

Roberto Carlos Secretário de Habitação explica “Muitas dessas pessoas estão inscritas no programa habitacional, tanto é, que eu conversei com gente que já está quase tirando a casa, mas a pessoa tem que aguardar, provavelmente na próxima semana já recebam o benefício, mas meu aviso é também para quem não tem inscrição, eu peço que faça, porque nós temos um programa que será mantido no próximo mandato.

A Polícia Militar (PM) foi chamada até o local a fim de acalmar todos os manifestantes. O Tenente Coronel Arruda afirma, ” Estamos aqui para garantir a segurança, a fim de negociar com os invasores, para que não haja confronto da polícia militar. Porque se você invade você já fica irregular e dificulta a negociação com a prefeitura depois”.

Leia também:  Setrat deve colocar arcos para evitar caminhões em avenida e ponte da Lions
Paulo José coordenador de transição do prefeito eleito - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Paulo José coordenador de transição do prefeito eleito – Foto : Messias Filho / AGORA MT

O coordenador da equipe de transição do prefeito diplomado, Paulo José Correia, afirmou à equipe de reportagem do site AGORA MT. “Viemos aqui para conscientizar as famílias, e dizer que a ocupação em áreas públicas, não é boa para nenhum gestor e solicitando que eles se retirem, porque o local já tem a destinação certa. Vamos seguir a lista de quem já tem cadastro.” Finaliza.

De acordo com a legislação, quando há uma invasão, as pessoas perdem o direito ao cadastro para pegar uma moradia regular e as que não são cadastradas e pretendiam se cadastrar, também perdem o direito, porque invadiram, a lei é clara.”

A Procuradoria do Munícipio já foi acionada para ingressar com uma ação necessária para paralisar a ação dos manifestantes.

Leia também:  Projeto para a biblioteca Manoel Severino fomenta debates sobre assuntos da atualidade

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.