Imagem: O agente penitenciário teve a arma recolhida e será ouvido pela Polícia Civil Foto: Divulgação/TJMT
O agente penitenciário teve a arma recolhida e será ouvido pela Polícia Civil Foto: Divulgação/TJMT

Manaces dos Santos Dultra, de 33 anos, morreu nesse domingo (3) depois de ter sido atingido por um tiro disparado por um agente penitenciário dentro do Fórum de Cuiabá, após ter passado por audiência de custódia devido ao crime de tráfico de drogas. O detento foi atingido nas costas e chegou a ser levado para o Pronto-Socorro da capital, mas não resistiu. A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos informou que abriu procedimento interno para apurar o ocorrido.

O agente penitenciário, identificado como Pery Taborelli Neto, teve a arma, uma pistola ponto 40, recolhida e será ouvido pela Polícia Civil.
Conforme a Sejudh, Manaces tinha saído da prisão no dia 23 de fevereiro deste ano e era monitorado por tornozeleira eletrônica. Nesse fim de semana, porém, ele foi preso por tráfico e teve a prisão decretada pela juíza da 9ª Vara Criminal, Renata Parreira., após a audiência de custódia.

Quando Manaces e os outros presos estavam sendo levados para a carceragem do Fórum, ele conseguiu soltar as algemas de mão e tentou fugir. Manaces recebeu ordem para parar, mas como não o fez, o agente penitenciário atirou.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi chamado e levou Manaces ao Pronto-Socorro de Cuiabá, mas ele não resistiu. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa abriu inquérito para investigar o caso.

A Unidade de Correição da Sejudh informou que está acompanhando a ocorrência, assim como o sindicato dos agentes penitenciários, Sindspen-MT, que afirmou que o servidor público agiu dentro da legalidade.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.