A dona de casa Raquel Sforne mora em Alta Floresta e está desempregada. Ela tem um filho de três  anos e cuida dele sozinha. Raquel tem sobrevivido de pequenos serviços na comunidade. A trabalhadora foi umas das beneficiadas pelo programa Pró-família. Ela representa a essência do público alvo do programa, pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social.

Raquel comemorou a entrega feita pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT). “Essa ajuda do cartão Pró-família  é muito importante pra mim. Muitas vezes passo necessidade com o meu filho e esse cartão vai me ‘salvar’. Hoje mesmo eu vou sair daqui e ir direto para o mercado. Está faltando as coisas em casa”, comentou.

Os cursos de qualificação que serão ofertados para as pessoas que estão incluídas no programa reacenderam a esperança de Raquel. “Eu fiquei muito animada com os cursos que vem pra gente. Eu quero um de culinária, fazer pão, bolo para vender e poder cuidar melhor do meu filho”, disse, emocionada uma das primeiras beneficiadas com a entrega do cartão Pró-família.

Os cartões Pró-família foram entregues na tarde desta sexta-feira (09.06), durante a sétima edição da Caravana da Transformação, realizada em Alta Floresta (775 km de Cuiabá). A entrega foi feita pelo governador Pedro Taques e pelo secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social, Max Russi.

Leia também:  Morre aos 86 anos a 1ª prefeita de Várzea Grande e ex-deputada de MT

Ao todo foram entregues 305 cartões, sendo 265 para famílias beneficiadas com a transferência de renda e os demais à equipe de apoio para o desenvolvimento do trabalho: 38 agentes comunitários de saúde e dois assistentes sociais. As famílias ainda receberão apoio sócio familiar, habitacional, assistencial, de saúde e educação.

Cada família recebeu  um cartão com um crédito no valor de R$ 100,00, que poderá ser utilizado exclusivamente para o consumo de gêneros alimentícios, não podendo ser utilizado para bebidas e tabaco.  Já os assistentes sociais receberam um cartão de R$ 300,00, os agentes comunitários de saúde R$ 100,00.

O governador Pedro Taques lembrou que a entrega dos cartões é apenas a primeira etapa do programa, que também vai qualificar os beneficiados. “Quem nunca passou por dificuldades na vida? Eu já passei. E muitas das autoridades que estão aqui também. É nesse momento que o Estado precisa se fazer presente. E esse dinheiro, os R$ 100,00, não é meu, é de vocês. Hoje é um grande momento, mas, daqui a um ano queremos comemorar a saída de vocês desse programa, com a qualificação necessária e com uma vida melhor”, disse o chefe do Executivo.

Leia também:  Veículos com mais de 18 anos serão isentos de IPVA a partir de 2018

O titular da Setas, Max Russi, ressaltou que o objetivo não é apenas fazer um repasse de R$ 100,00, mas sim criar uma grande rede de proteção social. “Neste momento de crise e desemprego temos que olhar para os menos favorecidos, apoiar mulheres trabalhadoras, mães solteiras, que precisam ter um apoio maior para cuidar dos filhos”, afirmou.

Conforme o secretário, as agentes de saúde, que são responsáveis por fazer a busca ativa das famílias, são a coluna cervical do programa.  “As agentes de Saúde são muito importantes para o sucesso e alcance desse programa. Nós não queremos apenas  um programa de ajuda, mas uma rede de proteção ao cidadão. O meio de chegar essas pessoas é pelas agentes de Saúde”.

Outras entregas

Além da entrega do cartão Pró-família, nove municípios da Região Norte do Estado receberam o repasse do Cofinanciamento Estadual de Assistência Social, referente ao Plano de Ação 2017. A previsão orçamentária do governo de Mato Grosso para o cofinanciamento da Assistência Social neste ano é de R$ 6,5 milhões, valor 40% maior que o pago no último ano da gestão passada.

Receberam os valores em parcela única os gestores de Alta Floresta, R$ 72.914,00, Apiacás, R$ 54.552,00, Carlinda, R$ 30.508,00, Marcelândia R$ 31.655,00, Nova Canaã do Norte R$ 30.402,00, Nova Guarita, R$ 28.535,00, Nova Monte Verde, R$ 30.665,00, Nova Santa Helena, R$ 28.820,00 e Paranaíta, R$ 31.088,00.

Leia também:  Casos de chikungunya têm alta e quase dobram no 1º semestre em MT

Também foi assinado um protocolo de intenções entre o Governo do Estado, Prefeitura Municipal e a Cooperativa Mista Habitacional de Alta Floresta, que destinou 50 lotes para a construção de unidades habitacionais na modalidade de mutirão. “Essas casas serão destinadas para atender as necessidades de geração de emprego e renda e habitação para as pessoas atendidas no programa Pró-família”, explicou o prefeito de Alta Floresta, Asiel Bezerra de Araújo.

A Setas e a Prefeitura municipal lançaram o edital de inscrição para que famílias possam participar do programa Família Acolhedora. O programa é feito em parceria com o Poder Judiciário. “Esse programa é para que famílias possam receber crianças e adolescentes até 18 anos que tenham problemas na estrutura familiar. A Família Acolhedora vai fazer uma adoção temporária, para o fortalecimento de vínculo familiar”,  disse a Corregedora do Tribunal de Justiça, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro. A família que participar do programa recebe um salário por mês da prefeitura.

Todo o evento foi transmitido ao vivo via  plataforma youtube no canal do Neaad/MT, da Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitec).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.