Trem movido a hidrogênio começa a circular - Foto: Divulgação/Alston
Trem movido a hidrogênio começa a circular – Foto: Divulgação/Alston

Alemanha é o primeiro país a ter um trem que opera com energia limpa.

Em fase de testes, ele está equipado com células de combustível que convertem hidrogênio e oxigênio em eletricidade e não emitem qualquer tipo de poluente.

“Estamos colocando o primeiro trem de passageiros com tecnologia de célula de combustível na pista. Este é um forte sinal para a mobilidade do futuro” disse Enak Ferlemann, Comissário do Governo Federal para o Transporte Ferroviário.

“O hidrogênio é uma alternativa real, de baixa emissão e eficiente ao diesel. Esses trens podem ser operados de forma limpa e ecologicamente correta”.

A primeira partida saiu no último fim de semana da estação de Bremervörde, no norte do país. Desde segunda, 17, dois desses trens entraram em serviço comercial na Baixa Saxônia.

Leia também:  Após constantes confrontos EUA reabre fronteira entre o México

A viagem é silenciosa mas não tão rápida. A velocidade máxima é de 140 km/h.

O abastecimento

Os novos trens são abastecidos em uma estação móvel de hidrogênio gasoso, que é bombeado para dentro dos veículos a partir de um contêiner de aço de 12 metros de altura próximo aos trilhos da estação de Bremervörde.

Com um tanque, eles podem percorrer toda a rede durante todo o dia, graças a uma autonomia total de mil quilômetros.

De resíduo da propulsão, somente vapor e água.

Um posto de combustível estacionário está programado para entrar em operação em 2021, quando estão previstos para entrarem em operação mais 14 trens, totalizando um investimento de cerca de R$ 400 milhões.

Leia também:  Canadense é condenado a prisão perpétua por matar pai para ficar com herança

“Ao provar com sucesso a operacionalidade da tecnologia de célula de combustível no serviço diário, definiremos o curso para o transporte ferroviário ser operado em grande escala e sem emissões de carbono no futuro”, afirmou Bernd Althusmann, Ministro da Economia e dos Transportes da Baixa Saxônia.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.