Os idosos acima de 65 anos e as pessoas com deficiência que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) devem estar inseridos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. A determinação parte da Portaria Interministerial n° 5/2017.

O cadastramento pode ser feito até 31 dezembro de 2018 nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou na Secretarias de Assistência Social.

Caso o beneficiário tenha alguma dificuldade de deslocamento, a inscrição pode ser feita pelo responsável familiar. Basta apresentar o CPF de todas as pessoas que moram na residência com o beneficiário.

A medida cumpre uma recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU) e vai aperfeiçoar a gestão dos benefícios sociais. Com os dados inseridos no Cadastro Único, o Ministério de Desenvolvimento Social terá as informações atualizadas dos beneficiários, o que permite administrar melhor os recursos.

Leia também:  Tomé resiste à tentação

O Cadastro Único – porta de entrada para mais de 20 programas sociais – é um instrumento que identifica as famílias de baixa renda, permitindo que o governo conheça melhor a realidade socioeconômica de cada uma delas. Nele, são registradas as características da residência, a identificação de cada pessoa, a escolaridade, a situação de trabalho e renda, entre outras informações.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.