Imagem: alunos
Foto: reprodução

A Escola Técnica Estadual de Rondonópolis, ligada a Secretaria de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (Secitec) promoveu uma visita para cerca de seis adolescentes que atualmente participam do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) da Secretaria Municipal de Promoção Social de Rondonópolis. Na ocasião eles conheceram as instalações da unidade escolar e assistiram apresentações de trabalhos dos alunos do curso técnico de Química do turno vespertino.

Essa ação teve como objetivo fomentar nos adolescentes o desejo pela capacitação profissional, dar a eles a oportunidade de conhecer um dos cursos que estão sendo oferecidos na escola e de promover um contato deles com os alunos.

“Nossa intenção foi despertar nos adolescentes um sentimento para estudar e ser reconhecido pela sociedade. A educação pode promover esse pertencimento social. Eles puderam ver que aqui na cidade tem oportunidades deles terem uma qualificação profissional”, afirmou André Luis Gusmão, Psicólogo do CREAS que estava com o grupo juntamente com outros membros da equipe técnica. Eles realizam atividades socioeducativas com adolescentes que sofreram violação de direitos.

A visita dos adolescentes foi acompanhada pela direção, coordenação e professores da escola técnica. Onze alunos do curso técnico de Química apresentaram oito trabalhos com temas variados da área específica, tais como bactérias no mofo, quitina, biodegração, tratamento de água, propriedades curativas e etanol.

Dos trabalhados apresentados, o funcionamento de pilhas foi o que mais despertou o interesse da adolescente Kamila, de 15 anos de idade. “Eu gostei muito de saber sobre o que tem na pilha e faz que ela funcione. E gostei muito de conhecer a escola.” Esse tema também atraiu a atenção do Bruno, de 15 anos. “Foi muito bom saber que é possível fazer energia usando batatas. Nunca imaginei isso. Muito legal ter visto esse grupo mostrando que é possível. Eu também gostei de ter ido na escola. Quem sabe um dia eu vou estudar lá.”

Para a professora responsável pelo desenvolvimento dos trabalhos dos alunos do curso de Química, a visita contribuiu com a formação dos estudantes não só para o mercado de trabalho, mas também para o crescimento pessoal e da prática da cidadania. “Eles estudaram para fazer o trabalho, pesquisaram, produziram materiais e textos. E puderam partilhar todo o conhecimento com os adolescentes do CREAS. A aprendizagem dessa forma fica mais significativa”, avaliou Anerlei Araújo dos Santos.

A explanação dos trabalhos foi desafiadora para os alunos de Química, pois eles estão mais acostumados a apresentarem para os colegas da sala. E dessa vez tiveram que palestrar para os adolescentes e equipe técnica do CREAS. “Fiquei um pouco nervosa. Mas eu gostei muito de poder falar para eles, de contribuir ou até de plantar uma sementinha neles para ingressarem na área de cursos técnicos”, disse Vanderléya de Souza Teixeira. “É muito satisfatório partilhar conhecimentos. Foi muito bom mostrar para os adolescentes o que estamos aprendendo”, completou Sidney Castro Silva.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.