Adquirido há mais de três anos pelo Município ao custo de mais de R$ 2 milhões, por meio de recursos provenientes do Ministério da Saúde, o equipamento de Hemodinâmica que seria utilizado para cirurgias cardiológicas e neurológicas minimamente invasivas foi utilizado uma única vez. O desperdício de recursos se deve à falta de habilitação dos serviços em Brasília.

O equipamento é utilizado em cirurgias de pequenas incisões e, desde que foi montado no Hospital, atendeu apenas um paciente que sofria de aneurisma cerebral. A cirurgia, comandada pelo neurocirurgião Dr. Giovani Mendes, foi um sucesso, mas nunca mais voltou a ocorrer desde então.

A reportagem do Agora Mato Grosso entrou em contato com a assessoria de imprensa do Hospital São Benedito para saber detalhes sobre a falta de uso do equipamento. No entanto, 48 horas após a solicitação, não obteve qualquer resposta sobre o assunto.

A equipe também fez contato telefônico com o diretor da Empresa Cuiabana de Saúde Pública, que administra o Hospital Municipal São Benedito e o Municipal de Cuiabá. Questionado sobre o uso do equipamento, Oséias Machado preferiu ser evasivo ao dizer que estava ocupado com outras questões. Contudo, assegurou que o equipamento vinha sendo utilizado.

No entanto, o Agora Mato Grosso apurou que o equipamento foi utilizado apenas uma vez, durante a fase de implantação, treinamento e testes, no início de 2017. O Ministério da Saúde informou que não existe qualquer processo de habilitação dos serviços de cardiologia em tramitação no órgão. Portanto, não há previsão de quando o equipamento finalmente será utilizado.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.