Imagem: o delegado Guilherme Bertoluti
O delegado Guilherme Bertoluti – Foto: reprodução

Dois fiscais da Prefeitura Municipal de Várzea Grande foram presos no início da noite de ontem (28), suspeitos de cobrarem propinas para emitirem laudos da Vigilância Sanitária Municipal.

Os dois suspeitos foram conduzidos para a Delegacia de Roubos e Furtos. Após ouvir o depoimento dos fiscais, o delegado Guilherme Bertoluti conversou com a imprensa.

“Eles estavam pressionando um empresário para o pagamento da propina. O valor que queriam era de R$ 4 mil”, disse o delegado.

O empresário extorquido é dono de uma peixaria. O estabelecimento comercial teria sido lacrado pelos fiscais que alegaram descumprimento de normas da Vigilância, mas ao ir até o departamento da Prefeitura o empresário foi surpreendido com o pedido de propina.

O valor acertado seria de R$ 4 mil, pago em três parcelas. Diante da negociação os fiscais liberaram, ou seja, desinterditaram a peixaria no mesmo dia.

Ontem, ao irem cobrar o valor da propina, foram presos pela Polícia Civil.

Em nota a Prefeitura Municipal de Várzea Grande disse que abriu um processo administrativo para investigar o caso e que os servidores poderão ser demitidos no final do processo.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.