04 de agosto de 2021
Mais
    Capa Destaques Servidores da educação são impedidos de subirem ao plenário da AL
    REVOLTA

    Servidores da educação são impedidos de subirem ao plenário da AL

    A cada manifestação dos deputados surgem gritos de ordem e vaias na galeria

    Imagem: 601c2bfd ff7b 4faa 836e 2534c0e570c7
    Sessão da Assembléia Legislativa – Foto: Pedro Couto / AGORA MT

    Foi retomada a pouca a sessão da Assembléia Legislativa de Mato Grosso que vota o projeto de Lei Complementar 53/2019 que trata dos incentivos fiscais do governo do estado de Mato Grosso, após um tumulto nos corretores.

    O tumulto aconteceu porque professores que estão em greve tentaram acessar a galeria do plenário para acompanharem a sessão, mas as portas estavam todas trancadas.

    Alguns grevistas forçaram as portas e a Polícia Militar (PM) foi acionada. O presidente Eduardo Botelho suspendeu a sessão por alguns minutos até que a situação fosse controlada. Após a intervenção da PM as pessoas presentes fizeram um breve cadastro na recepção da AL e tiveram acesso as galerias.

    O clima ainda é tenso. Os deputados apresentaram várias emendas ao projeto de lei e cada uma delas está sendo avaliada e votada.

    A cada manifestação dos deputados surgem gritos de ordem e vaias na galeria.

    A Pec 53 revoga alguns incentivos fiscais e cobra restituição aos cofres do estado de incentivos, que segundo o governador Mauro Mendes, foram cedidos de forma irregular.