Na hora da dor, muita gente recorre à compressa de água para aliviar. Mas qual é a temperatura adequada para cada tipo de problema?

O médico ortopedista Fabiano Nunes, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, explica que “as duas compressas, tanto fria quanto quente, têm funções analgésicas”. No entanto, acrescenta, o efeito é o oposto entre elas.

“A fria diminui a circulação de sangue no local. Quando tem machucado, hematoma, vai inchar menos, vai ter menos sangramento… isso ajuda imediatamente, melhorando a dor e também a cicatrização. A quente aumenta a circulação de sangue no local e tem a função de relaxar a musculatura, por isso é muito usada em contraturas e mau jeitos.”

Nunes alerta que, no caso da água quente, é preciso ficar atento porque esse tipo de compressa não deve ser us,ada logo após o trauma.

“O problema é fazer uma compressa quente para um trauma agudo, com sangramento. Vai aumentar o sangramento e o inchaço”.

Segundo o médico, a compressa de água quente pode ser feita alguns dias após a lesão, para aumentar a circulação de sangue na área afetada e ajudar na cicatrização.

Outra recomendação do ortopedista é com o gelo, que, se mantido em contato com a pele por um tempo prolongado, causa queimaduras.

Se a dor persistir, o especialista orienta que a pessoa procure atendimento médico para receber o tratamento adequado.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.