09 de fevereiro de 2021
Mais
    Capa Esportes Brasileiro vira top 3 mundial no esqui cross-country paralímpico
    RANKING

    Brasileiro vira top 3 mundial no esqui cross-country paralímpico

    Cristian Ribera abriu temporada com dois pódios nos Estados Unidos

    Imagem: cristian ribera pyeong inverno paralimpico Brasileiro vira top 3 mundial no esqui cross-country paralímpico
    O paulista Cristian Ribera subiu para o terceiro lugar do ranking mundial do esqui cross-country paralímpico- FOTO – Marcio Rodrigues/MPIX/CPB/Direitos Reservados

    O paulista Cristian Ribera subiu para o terceiro lugar do ranking mundial do esqui cross-country paralímpico. O brasileiro de 17 anos ganhou duas posições na lista da World Para Nordic Skiing (WPNS) na comparação com dezembro. A WPNS é uma divisão do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) responsável pela modalidade de inverno..

    O ranking leva em conta os resultados das últimas duas temporadas. Em 2020, Cristian foi vice-campeão da Copa do Mundo de esqui cross-country. Em janeiro deste ano, conquistou as medalhas de prata na prova de distance (longa distância, em circuitos que variam de dois a 50 quilômetros) e de bronze no sprint (disputa contra o relógio em circuito de curta distância, até dois quilômetros) na cidade de Bozeman (Estados Unidos).

    O torneio marcou a volta da seleção brasileira às competições desde o início da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

    O esquiador russo Ivan Golubkov lidera o ranking masculino entre atletas que competem sentados no esqui, seguido pelo norte-americano Daniel Cnossen e por Cristian, que nasceu com artrogripose, uma doença que limita as articulações das pernas.

    O Brasil tem outros três nomes na lista: Robelson Lula (22º), Guilherme Rocha (24º) e Wesley dos Santos (34º).

    No feminino, Aline Rocha manteve a nona colocação após duas medalhas de bronze em Bozeman. A norte-americana Oksana Masters é a primeira, com a compatriota Kendall Gretsch em segundo e a russa Marta Zainullina na terceira posição. Oksana e Gretsch foram justamente duas únicas atletas a superarem Aline nas provas de janeiro.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS