19 de abril de 2021
Mais
    Capa Notícias Política Idosos, índios e quilombolas são ‘bombardeados’ com fakenews
    SOBRE A VACINA

    Idosos, índios e quilombolas são ‘bombardeados’ com fakenews

    Senador Wellington Fagundes cobrou do ministro da Saúde e do Governo Federal ações contra notícias falsas e mais eficiência na vacinação

    Imagem: Wellington Fagundes Idosos, índios e quilombolas são ‘bombardeados’ com fakenews
    Wellington Fagundes – Marcos Oliveira/Agência Senado

    Ao defender a necessidade de vacinação em massa da população, com aquisição de vacinas “onde tiver e pelo preço que estiver”, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) denunciou que idosos, índios e quilombolas em Mato Grosso estão sendo ‘bombardeados’ por notícias falsas sobre a vacina contra a Covid-19. A situação foi apresentada nesta quinta-feira, 11, ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em sessão temática no Senado.

    O ministro foi chamado para explicar as ações do Governo no combate à pandemia. Os senadores cobraram de Pazuello a promessa de que toda a população brasileira será imunizada até o final deste ano contra a covid-19. Em resposta, o ministro garantiu que a vacinação será concluída em 2021, com 50% da população vacinada até junho; 50%, até dezembro. “Esse é o nosso desafio e é o que nós estamos buscando e vamos fazer” – disse.

    Em sua intervenção, o senador Wellington Fagundes ressaltou que Mato Grosso registrou 229.312 casos confirmados de coronavírus e 5.380 óbitos pela doença até o dia 10 de fevereiro. No entanto, considerou aquém o número de vacinados: 19.210 pessoas entre trabalhadores da saúde e idosos com 85 anos de idade ou mais já foram vacinados em Cuiabá. “Quer me parecer que estamos muito aquém de um número razoável e isso vem angustiando a população” – observou.

    Fagundes cobrou providências do Ministério da Saúde para avançar na aquisição das vacinas e pediu atenção especial para com os indígenas e quilombolas, além dos idosos. Ele observou que o Estado tem uma das maiores populações de povos tradicionais e lembrou o intenso trabalho realizado para reduzir os impactos da pandemia sobre os indígenas.

    Líder do Bloco Parlamentar Vanguarda, Wellington pediu atenção do Ministério da Sáude e do próprio Governo no combate às fakenews sobre a vacina. Junto com os idosos, indígenas e quilombolas, de acordo com o senador, vem recebendo forte carga de notícias falsas que tem como objetivo desestimulá-los a se vacinarem. “Chegamos ao ponto de disseminarem entre os idosos que a vacina causa câncer. Uma loucura isso” – disse o senador mato-grossense.

    Wellington enfatizou ainda a angústia do povo brasileiro e voltou a pedir ao ministro da Saúde e ao Governo uma atuação mais voltada às bases. “É claro que vir aqui fazer a cobrança de forma veemente é o que todos esperam, mas também nós temos que ter um equilíbrio neste momento e, acima de tudo, buscarmos ser parceiros. Eu sou um municipalista convicto, porque é no Município que as pessoas vivem. Então, eu tenho certeza de que, mais do que nunca, a solução está na parceria entre o Governo Federal, o Governo do Estado e os Municípios” – explicou.

    Homenagem póstuma

    Antes de interpelar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o senador Wellington Fagundes prestou homenagem a dona Amália Curvo de Campos, mãe do senador Jayme Campos (DEM-MT) e do ex-senador e ex-governador Julio Campos, que faleceu na noite de quarta-feira por complicações relacionadas à Covid-19. Amália Campos tinha 96 anos e estava aguardando pela vacinação.

    O legado deixado por Dona Amália foi destacado pelo senador mato-grossense. A participação ativa na política do Estado, segundo o senador, “é uma inspiradora história que deve ser reconhecida por todas as mulheres como um caminho a ser trilhado para a luta que as mulheres empreendem em busca de igualdade”.