19 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Tucano diz que PSDB "se apequenou” e defende reoxigenação
    CRÍTICA AO PARTIDO

    Tucano diz que PSDB “se apequenou” e defende reoxigenação

    Renivaldo lembrou que sigla fez apenas 11 prefeitos no Estado e 1 vereador na Capital

    Imagem: Renivaldo Nascimento
    Vereador Renivaldo Nascimento – Foto: assessoria

    O vereador de Cuiabá-MT, Renivaldo Nascimento (PSDB), não poupou críticas a seu partido, o qual ele afirmou estar “se apequenando” no cenário político de Mato Grosso.

    O tucano citou como exemplo o desempenho da sigla na Capital, que garantiu somente uma cadeira na Câmara de Vereadores. Em todo o Estado, foram apenas 11 prefeitos eleitos.

    Siglas como o DEM e o MDB, por exemplo, fizeram 24 e 23 prefeituras em Mato Grosso, respectivamente.

    “O PSDB está se apequenando a cada dia. O partido tem que fazer uma reformulação, inclusive, em seus diretórios, em seus dirigentes. Sou a favor de uma reformulação nos diretórios estadual, municipal, pra dar uma oxigenada. O que está aí, está errado”, criticou, sem citar nomes.

    “O PSDB, muito mal, fez um vereador na Capital e 11 prefeitos no Estado. Está se apequenando sim. Até por conta de ações erradas de dirigentes partidários”, emendou.

    O vereador ainda descartou que esse enfraquecimento guarde relação com o fato de a sigla ter apoiado a candidatura à reeleição do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB).

    Ele defendeu, ainda, que o partido começa desde já a se organizar, caso tenha interesse em pleitear uma disputa ao Governo do Estado.

    Em 2018, por exemplo, o então governador tucano Pedro Taques não conseguiu sua reeleição e amargou apenas a terceira colocação no pleito eleitoral daquele ano.

    “E não é que o PSDB se apequenou porque não teve candidato em Cuiabá. Se apequenou porque não se preparou. E não está se preparando. Tem apenas reuniões vazias, discursos vazios. O PSDB é muito maior do que está hoje. Precisa de reformulação geral, principalmente na direção”, reiterou.

    “Eu não vou deixar o partido, quero ajudar a sigla se recuperar, se reerguer. Temos dois anos para trabalhar um nome para ser candidato ao Governo”, concluiu.