18 de junho de 2021
Mais
    Capa Destaques Pioneira morre aos 90 anos; sepultamento será hoje na Vila Aurora
    Jupia Oliveira Mestre

    Pioneira morre aos 90 anos; sepultamento será hoje na Vila Aurora

    Dona Jupia foi pioneira no setor imobiliário e destacou-se pela filantropia, doando áreas para construção de hospitais, escolas, clubes de serviço e órgãos públicos

    Imagem: jupia Pioneira morre aos 90 anos; sepultamento será hoje na Vila Aurora
    Jupia Mestre tinha 90 anos e era considerada uma mulher muito à frente do seu tempo – Foto: Reprodução

    Faleceu na madrugada de hoje(04), a empresária e pioneira de Rondonópolis Jupia Oliveira Mestre. O corpo será sepultado no cemitério Vila Aurora, em Rondonópolis, às 16h. ‘Dona Jupia’, como era conhecida, tinha 90 anos de idade e a família não informou a causa da morte.

    Ela deixou 2 filhas, Tereza Mestre e Maria Rosilene Mestre, 6 netos, 2 bisnetos.  Seu terceiro filho, José Salmen faleceu há alguns anos. Dona Jupia era viúva do libanês naturalizado brasileiro José Salmen Hanze, o popular “Zé Turquinho”, que teve forte contribuição para o processo de povoamento e crescimento de Rondonópolis.

    Enquanto o marido começou atuando na comércio de querosene e gasolina, trazidos em embarcações pelo Rio Vermelho, dona Jupia vendia terrenos com preços abaixo do mercado, com o objetivo de atrair moradores para a região.

    Ela também teve uma atuação marcante como filantropa e foi considerada uma mulher à frente do seu tempo.

    A família chegou a ter 45 mil hectares em terrenos, o que equivalia a 1/8 da área de Rondonópolis. Muitos foram doados para a construção de unidades educacionais– incluindo as áreas onde foram construídas as escolas Joaquim Nunes Rocha, Salmen Hanze, antigo Guerino Bertoni, parte do Cesur, Senai, Escola da Vila Mamede, Escola Rural do Lajeadinho e Queixada, Escola Rural Aeroporto, Escola no Ponto Chique, Escola no Auto Bandeirantes.

    Também foi dela a iniciativa de doar boa parte da área para a formação do primeiro distrito industrial de Rondonópolis e do antigo aeroporto municipal.

    Imagem: senai Rondonópolis
    Dona Jupia doou áreas para construção da sede do Senai, escolas, entidades civis e vários órgãos públicos Foto: assessoria

    Ela doou ainda as áreas para a construção da Santa Casa de Misericórdia, para o Departamento Nacional de Estradas e Rodagens (DNER), hoje DNIT, para Polícia Rodoviária Federal, Batalhão da Polícia Militar na BR-364, Fundação Mato Grosso, residência dos comandantes do Exército de Rondonópolis, estação rodoviária de Rondonópolis, 50% do Caiçara Tênis Clube, do quartel do Exército em Rondonópolis, da delegacia da Polícia Federal, do Hospital Paulo de Tarso, da  sede do Rotary e Maçonaria, próximo à Santa Casa e para clubes de lazer de diversas categorias profissionais, entre outros.

    Ainda em vida, dona Jupia sempre dizia que a grande contribuição deixada para Rondonópolis é a ajuda à sociedade, aos menos favorecidos. “Eu ajudo todo muito, às vezes não posso dar muito”. Inclusive, reforçava dizendo que gostaria de ser lembrada por ter muitos amigos e ser considerada mãe de muitos.