O ex-prefeito de Rondonópolis Adilton Sachetti (sem partido) saiu em defesa do ex-diretor geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antonio Pagot (PR) e defendeu a abertura de Comissão Processante de Investigação para apurar as irregularidades dentro do órgão.

A declaração aconteceu em entrevista ao programa Revista da Cidade, ao apresentador, Agnelo Corbelino, na TV Rondon, afiliada ao SBT. Pagot foi acusado pela reportagem da revista Veja de envolvimento no esquema de superfaturamento em várias obras do Dnit. “Conheço o Pagot e Blairo o que estão fazendo com eles é uma injustiça, tenho uma vida com os dois e com toda certeza eles não precisam se beneficiar desta forma, os dois têm história de trabalho não só aqui em Mato Grosso, mas em suas origens também. É preciso se ir a fundo para investigar, porque tenho certeza que o Pagot não roubou, precisamos separar o joio do trigo, urgentemente e para que isso aconteça, eu defendo a abertura de uma CPI”, disparou Sachetti.

Leia também:  Procon fiscaliza Postos de Combustíveis em Rondonópolis

Indicado para o cargo pelo o senador Blairo Maggi (PR), ainda no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Pagot pediu demissão do cargo na segunda-feira (29/07), o pedido de Pagot, aconteceu depois que a revista Veja, denunciou o que seria um grande esquema de corrupção dentro do departamento, mas até agora não haveriam provas do envolvimento do ex-diretor, no suposto esquema.

Antes de ocupar o cargo no Governo Federal, Pagot foi Secretário de Infra-estrutura, Educação e da Casa Civil no governo Maggi. Durante o período a frente do governo, Pagot, recebeu o apelido dos aliados e inimigos políticos de Trator, pelo seu modo de atuar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.