Parentes do preso palestino Mohammed Abu Ataya mostram fotos dele nesta terça-feira (11) na Cidade de Gaza (Foto: Reuters)

Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) se ofereceu para exercer um papel intermediário neutro na troca do soldado israelense Gilad Shalit por 1.027 prisioneiros palestinos e está em conversações com Israel e o Hamas, que governa a Faixa de Gaza, disse um porta-voz do comitê nesta quinta-feira (23).

‘O CICV atuará como intermediário neutro se as duas partes concordarem em pedir os serviços humanitários da organização, para facilitar a transferência de detentos libertados’, disse à Reuters o porta-voz do CICV Marcal Izard.

Israel e o Hamas chegaram a um acordo, mediado pelo Egito e a Alemanha, para trocar mais de mil prisioneiros palestinos por Gilad Shalit, soldado de 25 anos que é mantido cativo na Faixa de Gaza desde junho de 2006.

Leia também:  França em número recorde elege 233 mulheres para a política

Os pais de Shalit, Noam e Aviva Shalit, vêm se reunindo ao longo dos anos com autoridades na sede do CICV em Genebra.

Em junho, no quinto aniversário da captura do soldado por militantes palestinos que chegaram a Israel por um túnel, o CICV divulgou um apelo público incomum, pedindo ao Hamas que fornecesse provas de que Shalit estava vivo e permitisse contato dele com sua família, como exigem as leis humanitárias internacionais.

A agência humanitária internacional já facilitou trocas anteriores de prisioneiros entre os governantes islâmicos e o Estado judaico.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.