A reestruturação do Conselho Municipal Antidrogas, por meio da lei 7.104, de 16 de fevereiro de 2012, deve ajudar a ampliar as ações de combate ao tráfico e comercialização de entorpecentes, além de promover a proteção de juventude de Rondonópolis. De acordo com a lei aprovada pela Câmara de Vereadores e sancionada pelo prefeito Zé Carlos do Pátio nesta quarta-feira (22), o Conselho é um órgão consultivo e de assessoramento à política nacional de combate às drogas.

Cabe ao Conselho orientar todas as instituições e entidades municipais responsáveis pelas ações de combate às drogas, como movimento comunitário organizado e órgãos estaduais e federais dispostos a colaborar com o esforço local. O Conselho é composto por 24 membros, sendo 12 do Poder Executivo municipal e estadual, do Judiciário e do Legislativo. Os demais representam entidades não governamentais.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador está com inscrições abertas até segunda

Com a reestruturação do Conselho, o prefeito Zé Carlos do Pátio amplia a rede de proteção social que já conta com a Casa de Recuperação ligada à Igreja Assembleia de Deus, o Lar Cristão e a Casa Esperança que passou a receber um volume maior de recursos públicos e agora atende também moradores de rua com problemas de alcoolismo. Pátio contribuiu também com o projeto de construção de Centro Terapêutico da Divina Providência. A entidade foi contemplada com o repasse de R$ 150 mil.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.