Boa parte da população de Mato Grosso acompanhou nos últimos 15 dias a agonia do prefeito rondonopolitano, José Carlos do Pátio (PMDB) e o julgamento do processo que o levou a cassação.

Entre muitas especulações, andaram falando que forças ocultas teriam adiantado o andamento do processo, que foi injustiça, que não deveria ter acontecido no final do mandato, mas, poucas pessoas andam falando de uma grande dúvida, quem elaborou a prestação de contas e anotou que foram confeccionadas camisetas a mais que o necessário?

Como filho feio não tem pai parece que a dúvida deve pairar por muito tempo, já que se no ato da confecção da prestação de contas não houvesse havido o “erro”, a história poderia ter sido bem diferente.

Leia também:  “O MP foi provocado por alguém que deseja polemizar”, rebate Ana Carla
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.