A Polícia Civil pediu a prisão temporária dos dois suspeitos de participar do assassinato do jornalista Décio Sá, na última segunda-feira (23), em São Luís, no Maranhão. O pedido foi feito na tarde desta quinta-feira (26) pelos delegados Maymone Barros Lima, Guilherme Sousa Filho e Jeffrey Furtado.

Os dois suspeitos passaram o dia prestando depoimento, durante doze horas, na Delegacia de Homicídios. A polícia não deu qualquer detalhe sobre as declarações dos suspeitos.

Caso seja aceita pela Justiça, a prisão dos suspeitos terá duração de 30 dias, podendo ser prorrogada por mais um mês. A polícia ressalta que a prisão dos dois suspeitos é importante para o andamento das investigações.

Leia também:  Homens armados roubam motocicleta e deixam vítima a pé no Carlos Bezerra

A polícia expediu ainda um mandado de busca e apreensão domiciliar para que sejam coletadas roupas e objetos, como celulares e armas, que possam ter sido utilizados no assassinato.

Os policiais chegaram aos suspeitos por meio de informações do Disque-Denúncia e com base nas características físicas detalhadas pelas testemunhas do assassinato, que prestaram depoimento. Um dos suspeitos foi apontado pela maioria das pessoas como tendo envolvimento na morte do jornalista Décio Sá. O secretário-adjunto de Inteligência e Assuntos Estratégicos, Laércio Costa, também confirmou na manhã de quinta que o suspeito pode ter ajudado na fuga do assassino.

Sobre o caso

O jornalista Décio Sá foi morto a tiros por volta de 22h40, em um bar da Avenida Litorânea. De acordo com testemunhas, os suspeitos chegaram em uma motocicleta, executaram o jornalista e fugiram do local.

Leia também:  PM recupera carro roubado em assalto

Em menos de duas horas, a polícia encontrou o cartucho da arma que teria sido utilizada no crime. A peça passou nesta quarta-feira (25) por uma análise química, que permitirá um resultado mais preciso sobre as impressões digitais do assassino do jornalista Décio Sá.

Qualquer informação sobre os assassinos do jornalista, pode ser passada ao Disque-Denúncia, pelos telefones (98) 3223-5800, na capital, e 0300 313 5800, no interior do Estado. Não é necessário se identificar.

Veja como foi o caso no link abaixo:

Jornalista perde a vida com seis tiros no Maranhão

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.