Foto: arquivo/AGORAMT

Pouca gente sabe, mas organizar e realizar uma feira agropecuária do padrão da Exposul de Rondonópolis, que é considerada uma das maiores e mais importantes feiras agropecuárias do Brasil, exige altos investimentos, muito trabalho e dedicação. Para isso, as estimativas de investimentos ou custos da realização da 40ª Exposul estão orçadas em cerca de R$ 2,5 milhões.

Na verdade, assim que termina uma feira, o Sindicato Rural e a Comissão Organizadora já dão inicio aos preparativos para a próxima feira no ano seguinte.

Todavia, é em meados de fevereiro que as ações se intensificam e mais pessoas são contratadas para reforçar o staff do sindicato na preparação e organização da feira, que em 2011, teve um público superior a 180 mil pessoas durante os nove dias da 39ª Exposul.

Conforme os organizadores o dia de menor público do ano passado registrou 20 mil pessoas passando pelas catracas, o que multiplicando pelos dias da festa, chega-se facilmente à casa dos 180 mil.

Leia também:  Grupo de debate pelo WhatsApp premia destaques de MT

Para este ano, as expectativas são ainda mais animadoras. Os organizadores estimam um público da ordem de 200 a 220 mil pessoas nos nove dias da feira (04/08 a 12/08).

A festa gera milhares de empregos diretos e indiretos (temporários), e movimenta a economia local atraindo investidores de várias partes do Brasil e até do Exterior, como as seis empresas chinesas que prestigiaram a Exposul em 2011, faturaram cerca de R$ 12 milhões e que já demonstram interesse em retornar.

Segundo um dos organizadores da feira, Leister Carlos Manganaro de Oliveira, durante a preparação da Exposul, são contratados reforços da ordem de 10 pessoas para auxiliar o setor administrativo e organização da feira, outras 20 para a manutenção e reparos na estrutura do parque de exposições e, durante a semana da festa, mais cerca de 170 pessoas para atuarem nos setores de segurança, bilheterias etc.

Leia também:  Campanha vai recolher embalagens descartadas em salões de beleza

Mas a Exposul representa muito mais no que se refere à geração de empregos diretos e indiretos. A organização estima que pelo menos outras 500 vagas temporárias sejam geradas através dos expositores para atuarem nos estandes, que acabam contratando, pintores, pedreiros, encanadores , eletricistas, marceneiros, garçons, atendentes, secretárias, vendedores, vigias (seguranças privados), cozinheiras e recepcionistas entre outros. Sem contar a movimentação nos hotéis e no comercio em geral.

E isso acaba girando a economia informal da cidade, agregando valores à expectativa de comercialização e realização da feira.

Em 2011, a Exposul apresentou uma movimentação financeira da ordem de R$ 89,5 milhões. Para este ano a expectativa é bater a casa dos R$ 100 milhões.

Leia também:  Em comemoração ao dia nacional da doação de leite materno, Santa Casa faz um alerta

Prova dessa expectativa positiva, segundo Leister Manganaro, é a procura por espaços para instalação de estandes. “Os expositores do ano passado já estão mantendo contato com o sindicato e a Comissão Organizadora da feira e reservando espaços para instalação de suas empresas novamente. Ninguém quer deixar para a última hora”, repassa.

Por conta disso, a comissão organizadora decidiu ampliar a oferta de espaços disponibilizados, ampliando a área disponível em cerca de mais

três mil m2 numa região nobre do parque, que compreende a área frontal do ‘Palco Central’ onde pelo menos mais 10 a 15 novas empresas poderão se instalar, incluindo a área e estrutura do próprio palco totalizando espaços para mais de 120 expositores na feira este ano.

Essa modificação tem como justificativa a centralização das atividades de rodeios, shows e sorteios na Arena de Rodeio João Poteiro este ano.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.