O Ministério da Saúde garantiu o repasse de R$ 66,9 milhões para o custeio dos hospitais estaduais de Várzea Grande (Metropolitano), Alta Floresta e de Sinop. O recurso é anual e será transferido em parcelas mensais, correspondente a 1/12, sendo a primeira retroativa ao mês de maio. O valor a ser repassado para cada unidade mensalmente não foi confirmado pelo Ministério, no entanto, de acordo com o deputado federal e ex-secretário de Saúde Pedro Henry, o hospital sinopense receberá R$ 2,5 milhões ao mês.

“Nós fizemos uma proposta ao Ministério para custear algumas unidades novas que estávamos abrindo. O Ministério tinha que entrar ajudando no financiamento de 70% nos contratos”, explicou ao Só Notícias. Ainda segundo o deputado, o Estado auxiliará no custeio da unidade com pouco mais de R$ 1 milhão ao mês. “O importante é que isso garante a abertura do hospital de Sinop”, reforçou.

Leia também:  Dono de cervejaria se oferece para pagar advogado de "renome" para Silval

A projeção feita pelo deputado é que o hospital sinopense entre em funcionamento ainda em agosto. No entanto, a estimativa feita pela Secretaria Estadual de Saúde, por meio de assessoria em meados de junho, é que os atendimentos comecem em até três meses após o início das reformas na estrutura, previstas para julho.

O hospital de Sinop será gerenciado pela Fundação de Saúde Comunitária de Sinop (Hospital Santo Antônio), única participante do chamamento público realizado em abril. Inicialmente, a administração será em cogestão com o Estado, pelo período de três meses ou até que consiga fazer isso de forma independente.

Entre as metas está a de realizar, no mínimo, 445 saídas hospitalares/mês, com variação de 15% para maior ou menor, após ativação completa de todos os leitos operacionais. O prédio do hospital foi entregue em 2008, com 74 leitos, alas para dez Unidades de Tratamento Intensivo para adultos e outras dez para UTIs pediátricas

Leia também:  Homologada licitação para Ganha Tempo em Rondonópolis

Mato Grosso recebe mais
Os R$ 66,9 milhões que serão destinados anualmente para Mato Grosso correspondem a 91,35% do valor estabelecido pelo Ministério, em cinco portarias, para a manutenção de serviços de saúde em quatro Estados. Em São Paulo, serão destinados R$ 4,7 milhões, sendo R$ 2,6 milhões para o hospital regional Presidente Prudente e, R$ 2,1 milhões para o município de Mauá custear uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h).

Goiânia receberá cerca de R$ 1,1 milhão para fazer a manutenção dos serviços prestados pelo Centro de Reabilitação Dr. Henrique Santillo, especialmente na ala de assistência aos portadores de doenças neuromusculares. Já outros R$ 406,5 mil anuais serão destinados ao hospital Dom Helder Câmara de Pernambuco, para aplicar na manutenção da unidade na área de assistência de média e alta complexidade de traumato-ortopedia.

Leia também:  Com probabilidades de chuvas, período exige cautela de motoristas nas rodovias

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.