Em 2011, os benefícios da Seguridade Social cobriam aproximadamente 76,2% da população brasileira acima de 60 anos (17,9 milhões de idosos). Com isso, a proporção de idosos pobres é menor do que a dos não idosos, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira (11) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Isso ocorre porque o benefício social (previdência urbana, previdência rural, assistência social e as pensões por morte) corresponde a um salário mínimo e garante, pelo menos, a renda de R$ 622.

Essa população recebeu um total de R$ 28,5 bilhões em rendimentos, dos quais 69,5% foram pagos pela Seguridade Social. Esse valor correspondia a quase um quinto (19,4%) da renda de todos os brasileiros e 64,5% da renda dos domicílios onde residem.

Leia também:  Idosa é espancada por bandidos após ter casa invadida duas vezes seguidas em MS

Segundo o Ipea, o percentual de idosos pobres e indigentes do sexo masculino teve forte redução entre 1992 e 2011: passou de 32,7% para 6,2%.

Entre as mulheres, a proporção foi reduzida de 28,9% em 1992 para 5,4% em 2011.

Aproximadamente 96,3% dos homens idosos e 86,6% das mulheres idosas tinham algum rendimento em 2011. Grande parte da grana vinha da aposentadoria, em uma proporção de 57,6% entre os homens e de 53,9% entre as mulheres.

Mais idosos no trabalho

O estudo do Ipea aponta que, em médio prazo, a participação dos idosos nas atividades que geram renda irá crescer, já que houve uma grande entrada de mulheres no mercado de trabalho a partir dos anos 70.

Leia também:  PM entra em ônibus, agride motorista e rouba dinheiro de passagens após se envolver em briga de trânsito

Por outro lado, a oferta de trabalho será reduzida e os custos do sistema previdenciário vão exigir que o trabalhador demore mais para se aposentar. Isso requer investimentos em saúde ocupacional para diminuir as aposentadorias por invalidez.

Será necessário também quebrar os preconceitos com relação à mão de obra idosa e capacitá-la para acompanhar as mudanças tecnológicas.

A PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) estima que o País tenha aproximadamente 23 milhões de pessoas com 60 anos e mais.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.