O número de prisões por embriaguez nas rodovias federais entre o dia 21 de dezembro e 2 de janeiro cresceu 125% na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (3) pela Polícia Rodoviária Federal. Do dia 21 até esta quarta (2), segundo a polícia, 723 pessoas foram presas por embriaguez. No mesmo período do ano anterior, foram 322 prisões.

A PRF atribui o aumento das prisões à nova Lei Seca, sancionada no dia 20 de dezembro de 2012 pela presidente Dilma Rousseff.

A nova lei prevê, além do uso do bafômetro, utilização de outros meios para comprovar que o condutor esteja alcoolizado, como exame clínico, perícia, vídeo e prova testemunhal. Além disso, aumenta a multa, de R$ 957,70 para R$ 1.915,40. Esse valor é dobrado caso o motorista seja reincidente em um ano.

Ainda de acordo com a PRF, neste feriado foram aplicados 70.855 testes de embriaguez por meio do bafômetro, aumento de 181% em relação ao ano anterior.

Leia também:  Homem é esfaqueado após fazer fofoca na casa de vizinha

O bafômetro foi o principal instrumento utilizado pela polícia nas estradas para comprovar a embriaguez dos motoristas, segundo a PRF.

Quando o bafômetro acusa menos de 0,3 mg de álcool por litro de ar assoprado, o motorista é apenas autuado. Nos casos em que o resultado é maior do que 0,3 mg, o motorista é preso. O total de multas por embriaguez neste feriado foi de 1.716.

“A pessoa pode até se recusar a soprar, mas no momento que ela passa sinais de que realmente está embriagada, independentemente se ela assopra ou não o bafômetro, ela pode ser conduzida e presa”, disse diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento Souza.

Segundo estatística elaborada pela PRF, em média, um motorista assoprou o bafômetro a cada 16 segundos nas rodovias federais durante o feriadão de fim do ano.

De janeiro a novembro de 2012, 29% dos motoristas reprovados no bafômetro eram presos. Com a nova lei, de acordo com a PRF, esse número subiu para 42%.

Leia também:  Polícia divulga foto de autor de homicídio de adolescente em São José do Rio Claro

“Com a nova lei, que foi um esforço grande por parte do Congresso, isso corroborou para que pudéssemos fazer uma fiscalização mais eficiente e possibilitou novos meios de provas. Evidentemente nós estamos alinhados com o governo federal e seguindo as diretrizes do nosso Ministério da Justiça”, afirmou a diretora.

O estado que registrou o maior número de prisões por embriaguez foi o Paraná, com 123 do total de 723 prisões em todo o país. Em seguida, estão Santa Catarina (64 prisões), Minas Gerais (47) e Rio Grande do Sul (47).

MORTES NAS RODOVIAS

A operação “Fim de Ano” da Polícia Rodoviária Federal registrou 392 mortes nas rodovias federais entre 21 de dezembro e 2 de janeiro, aumento de 11% na comparação com o mesmo período do ano anterior , quando foram 353 mortes.

O maior número de mortos foi registrado em Minas Gerais (56 mortes), seguido por Bahia (50), Rio de Janeiro (32) e Paraná (27).

Leia também:  Motociclista é preso após furar sinal e colidir com viatura da Polícia

A diretora-geral da PRF justificou o aumento do número de mortes dizendo que neste Natal houve acidentes mais graves do que em 2011. Somente em um acidente ocorrido em Pernambuco, segundo Maria Alice, houve 11 mortes durante a colisão de um caminhão com uma van.

“No Natal, se viaja para ficar com a família, portanto temos deslocamento grande para o interior, que é onde temos mais trechos de pistas simples, lugares onde temos os acidentes mais graves”, explicou.

Em relação ao número de acidentes, porém, houve 12% menos ocorrências entre os últimos dias 21 de dezembro e 2 de janeiro do que no mesmo período do ano anterior, totalizando 7.040 acidentes. A quantidade de pessoas feridas também caiu em 14% e chegou a 4.171, segundo dados da Polícia Rodoviária.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.