O futebol do interior mineiro vive um de seus piores momentos financeiros. Minas Gerais corre um sério risco de ter que transferir uma de suas vagas na Série D do Campeonato Brasileiro para outro estado. Os motivos se devem, principalmente, à dificuldade de quitar as contas, além de tempo para formar um elenco para o segundo semestre.

Para o Brasileirão da Série D, Minas Gerais tem o direito de participar com três time. O primeiro é o Tupi-MG, rebaixado na última edição da Série C e as demais para os clubes melhores colocados no estadual 2013 e que não estejam nas séries superiores.

Nestas condições conseguiram as vagas o Villa Nova-MG e o Tombense. O Leão do Bonfim já confirmou sua participação e inclusive treina para o campeonato. Mas o Tombense desistiu.

– O Tombense só volta em 2014. Nossa prioridade é reestruturar o clube. Estamos reformando o estádio e não é viável a Série D. Não tem ajuda de ninguém – falou o presidente Lane Gaviolle.

Leia também:  Brasil começa a Copa enfrentando Suíça, Costa Rica e Sérvia

Quando há desistência, a Federação Mineira de Futebol (FMF) consulta a equipe seguinte melhor posicionada no Campeonato Mineiro. Desta forma, a entidade procurou a Caldense e ganhou um não.

– Tínhamos sim o interesse em participar da Série D. Mas não temos tempo hábil para montar o time. Por esse motivo a Caldense não tem interesse na competição. A FMF deveria ter comunicado com antecedência – disse o gerente de futebol Alex Joaquim.

Com a negação da equipe do Sul de Minas, a FMF foi atrás do Guarani-MG. E a resposta, através de nota oficial, foi semelhante.

– O Guarani Esporte Clube informa que recusou o convite para participar da Série D. Sabemos que a participação seria de fundamental importância para a continuidade do trabalho técnico desenvolvido no primeiro semestre e que gostaríamos muito de manter o grupo que aqui esteve em um trabalho continuado. A situação financeira do clube não nos permite o mesmo. A competição foi orçada em um valor de aproximadamente R$ 150 mil mensais, recurso que o clube não possui e o pouco tempo para dar resposta ao convite inviabilizou a busca pelo mesmo – informou a nota.

Leia também:  Flamenguistas são detidos por jogarem bombas em porta de hotel de time adversário

Diante das renúncias, a reportagem do GLOBOESPORTE.COM fez contato com dirigentes do Nacional-MG, América TO e Araxá.

No Búfalo, a direção respondeu que não tem interesse.

– Estão dizendo que a gente vai disputar, mas não procede. Quem disse isso, falou sem consultar o Nacional-MG. Já emprestamos todos os nossos atletas e não temos interesse no Brasileiro – disse o diretor de Futebol Roger Galvão.

Vice-lanterna e rebaixado do Módulo I, o América TO se pronunciou através do presidente Nodje Walter.

– Não chegou nada [convite] até agora . Se chegar, temos que sentar com a diretoria e resolver. Precisamos fazer as contas e saber o que será gasto. No máximo até quarta-feira decidiremos-explicou.

Leia também:  Cuiabá Arsenal embarca em busca de vaga na final do brasileiro

Já o Araxá, que ficou na última colocação, aguarda também um posicionamento da FMF.

– Primeiro preciso receber uma notificação da Federação. Se isso acontecer, o Araxá pode amadurecer esta ideia. Nós temos apoio e parceiros – falou o presidente do Ganso, Dailson Lettieri.

A Série D do Brasileiro começa no dia 2 de junho. Caso não haja clube interessado, a vaga deverá ser preenchida pela Federação que estiver melhor posicionada no Ranking Nacional das Federações (RNF). Hoje, a entidade melhor colocada é a Federação Paulista de Futebol.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.