A Assembleia Legislativa de Mato Grosso e a Câmara Municipal de Rondonópolis criaram um embate para definir quem vai nomear o maior terminal ferroviário da América Latina, localizado a 28 km do centro da cidade, em uma área de 385 hectares.

O deputado Walter Rabello (PSD) apresentou projeto nesta semana para que o terminal de cargas, receba o nome de Olacyr de Moraes. Seria uma homenagem ao ex-rei da soja que ajudou a idealizar a construção da ferrovia Vicente Vuolo, cujos trilhos avançaram em solo mato-grossense inciando em Alto Taquari, passando por Alto Araguaia e Alto Garças, até chegar a Rondonópolis.

Já a Câmara Municipal havia cogitado o nome do ex-deputado e já falecido Afro Stefanini, mas em discurso a tribuna nesta quarta-feira (21), o presidente da Casa, Ibrahim Zaher (PSD) definiu entre os vereadores que o terminal seja nomeado de Adão Riograndino Mariano Salles, pai do vice-prefeito de Rondonópolis, Rogério Salles (PSDB) e consagrado como o 1º agricultor a cultivar soja em Mato Grosso, tendo início na década de 70.

Leia também:  Exposul ignora apoio da Prefeitura em rede social

“Nada contra a ideia da Assembleia, mas pelo terminal ser localizado em uma área urbana de Rondonópolis, é de competência da Câmara Municipal escolher o nome”, alfinetou Ibrahim.

A divulgação do nome, deverá ser anunciada até a inauguração do terminal que acontecerá no dia dois de outubro, onde contará com a presença da presidenta Dilma Roussef (PT) (leia aqui).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.