Cerca de mil idosos de vários grupos de apoio da cidade participam nesta sexta-feira (27) de um ‘Dia de Lazer’, promovido pela Secretaria de Promoção e Assistência Social do Município na sede da Associação Atlética Banco do Brasil – AABB. Além de recreações, com jogos de bingo e outras atividades, os idosos têm à disposição equipes da Secretaria de Saúde e monitores para aferição de pressão arterial, teste de glicemia, hidroginástica, vôlei e outros esportes, além da tradicional e movimentada dança de salão.

Segundo a gerente do Departamento de Proteção Social Básica, Rosane Novaes Garske, que atua na supervisão dos Centros de Referência e Assistência Social – Crás, o programa de acompanhamento de idosos vêm se expandindo na rede. “Hoje temos cadastrados 17 grupos, vinculados a igrejas, movimentos comunitários, na UFMT e mais seis desenvolvidos nos próprios Crás. Estas pessoas têm palestras, acompanhamento da saúde e outros trabalhos sócio-educativos, tanto na zona urbana como na como na zona rural”, explicou.

Leia também:  Agosto Dourado | Hora do Mamaço: É preciso valorizar o aleitamento materno

O secretário da pasta que coordenou a montagem do evento, Eduardo Duarte, ressaltou a parceria com outras secretarias que permitem que o trabalho seja completo. “Além dos profissionais cedidos pela Secretaria da Saúde, que fazem o monitoramento destes grupos, temos a própria Secretaria de Administração que já nos auxiliou, de esportes e a de educação, onde muitos destes idosos são incluídos no processo de alfabetização e na volta aos estudos”, ressaltou Duarte.

Sebastiana Evangelista, de 72 anos, estava no dia de lazer e participa do grupo do Crás do Cidade Alta há seis meses. Ela comenta que conseguiu fazer muitos amigos em meio aos encontros e mudou suas qualidade de vida. “Uma amiga me levou. Eu fiz muita amizade até agora. Engraçado é que eu morava perto destas pessoas, mas não as conhecia. A partir do grupo passei a conversar, me tornei mais feliz. Minha família notou minha melhora”, comenta.

Leia também:  Polícia Civil realiza atendimentos em mutirão social em Rondonópolis

Mudança parecida ocorreu com Firmina de Lima Santana, de 57 anos, que participa das atividades no Crás do Rio Vermelho. “Estou participando há 6 meses. Melhorou bastante minha circulação com as caminhadas, as atividades. Mas creio que está sendo muito bom mesmo as informações que recebi. Nas palestras com os médicos, assistentes sociais a gente aprende muita coisa para saber cuidar melhor da própria vida e prolonga-la”, frisou.

A população idosa que ainda não participa dos vários grupos existentes na cidade pode ser informada em qual o mais próximo de sua residência nas unidades de Cras do Município, presentes na Cidade Alta, na Vila Operária – o da Luz D’yara, e outros quatro distribuídos por pontos estratégicos: o Cras Rio Vermelho, do Jardim Iguaçu, Ana Carla e no conjunto São José.

Leia também:  Rondonópolis se destaca em Campeonato Brasileiro de Jiu Jitsu e ganha 25 das 40 medalhas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.