Foto: assessoria
Foto: assessoria

O sonho de ter a casa própria está próximo de se tornar uma realidade para 499 famílias da comunidade de Rondonópolis. O supervisor da Gerência de Alienação de Imóveis da Caixa Econômica Federal – Gilie/CEF, Jean Carlos Carvalho, fez o sorteio das unidades do Residencial João Antonio Fagundes na tarde desta segunda-feira (25), durante reunião institucional com as famílias contempladas, no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora Aparecida.

No período de 26 de novembro a 3 de dezembro, todas as pessoas beneficiadas vão ser convidadas para fazer a vistoria do imóvel. Nos dias 4, 5 e 6 acontece a assinatura dos contratos com a Caixa e as chaves das casas vão ser entregues em solenidade festiva no dia 9. Além da moradia com toda a infraestrutura, as famílias vão ser atendidas pelo Projeto de Trabalho Técnico Social – PTTS que reúne ações de orientação e capacitação.

Leia também:  PM utiliza WhatsApp como ferramenta para combater crime em Rondonópolis

A coordenadora de Habitação e Administração do Município, Maria Perpétua Teixeira de Oliveira Stefanini, explica que as famílias vão receber lições sobre a boa convivência em comunidade, proteção e preservação ambiental e cursos voltados para a geração de emprego e renda, como de pedreiro e eletricista. Ela alerta que a principal exigência do Ministério das Cidades é com relação à educação ambiental.

As atividades organizadas pelas assistentes sociais Letícia de Arruda e Arlete Souza incluem também palestras de educação no trânsito. As técnicas iniciaram o trabalho que deve durar seis meses com uma palestras de esclarecimento sobre as normas do Programa Minha Casa, Minha Vida, os direitos e deveres dos mutuários. Tanto a coordenadora Maria Perpétua quanto às técnicas chamaram a atenção de que a casa ofertada é para cada família morar. Portanto, não devem ser vendidas.

Leia também:  Motorista cai em buraco enquanto mexia no celular na avenida dos estudantes

Alexandre Torres – secretário-adjunto de Habitação e Urbanismo – afirmou que a equipe da Pasta vai atuar de forma efetiva na fiscalização e quem adotar a estratégia de comercializar a casa vai ter o nome bloqueado em todo sistema de habitação popular do país. “Nós desejamos a justiça social de dar casa a quem precisa de um teto. Em razão disso, estamos fiscalizando todos os contemplados sim. Cada família deve cuidar com muito amor da casa que vai receber”, orienta.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.