Em uma conversa franca, já de cabeça fria, no hotel em que o Atlético-MG está hospedado em Marrakesh, o lateral-direito Marcos Rocha pediu desculpas ao técnico Cuca pelos xingamentos ao ser substituído na derrota por 3 a 1 para o Raja Casablanca (assista ao vídeo), na semifinal do Mundial de Clubes, na quarta-feira. Mesmo constrangido pela repercussão negativa, o jogador manteve a posição de que a reclamação era apenas um desabafo de quem estava com a cabeça quente.

– Foi coisa de momento. Tenho um carinho grande pelo Cuca. Foi ele que me resgatou no América, me deu oportunidade. Já passou. Naquele momento, eu não concordei. Falei algumas coisas sem pensar. Algumas pessoas no Brasil tentaram me queimar. Mas não vai ser um jogo que vai apagar minha história – afirmou.

Leia também:  Cuiabá Arsenal fecha ano com confraternização neste sábado

O jogador contou que teve uma conversa com o treinador no hotel para amenizar a situação. Cuca se despede do Atlético na disputa do terceiro lugar do Mundial, contra o Guangzhou Evergrande, no sábado, às 14h30m (de Brasília). Em 2014, o treinador assume o comando do Shandong Luneng, da China.

– A gente conversou ontem pelo momento que estamos vivendo. Foi um clima ruim no hotel. Pedi desculpa, falei que era coisa de momento. Ele entendeu e sabe que não sou mau-caráter.
Antes do último treino sob as orientações de Cuca, nesta sexta, em Marrakesh, Marcos Rocha admitiu que será complicado não ter mais o treinador no comando da equipe.

Leia também:  Palmeiras assume a vice-liderança após vencer Grêmio fora de casa

– É chato, são dois anos de trabalho com ele. Foi um trabalho muito especial. Na minha opinião, 99% positivo pelos resultados que ele alcançou. Só torcer para que ele seja feliz na nova equipe. E, quando ele voltar ao Brasil, a gente possa voltar a trabalhar junto.

Sobre a multa que será aplicada pela diretoria do Atlético-MG em razão dos xingamentos, Marcos Rocha limitou-se a dizer que vai aceitá-la.

– A gente procura tratar internamente. O Maluf falou comigo sobre a multa e vamos conversar. Mas tenho que acatar, afinal sou apenas um funcionário do clube.

Nesta sexta, o treinador confirmou sua irritação com a atitude do lateral, mas revelou que perdoou o jogador.

Leia também:  AssuRoo | Time de futsal de surdos de Rondonópolis conquista 2° lugar da competição em Campo Grande

– Fiquei muito aborrecido, porque é um menino de que gosto muito. Como treinador, eu o entendo, porque ele estava com a cabeça quente. Mas faz parte do passado. Que ele amadureça com essa situação – disse Cuca.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.