O ministro da Fazenda, Guido Mantega, atribuiu a queda de 0,5% no Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre, ante o segundo, a uma base de comparação com um período de atividade econômica mais concentrada em segmentos que tiveram maior produção como, por exemplo, a agropecuária, isso em razão da sazonalidade.

Na comparação trimestral, esse segmento teve variação negativa de 3,5%, mas quando se observa o acumulado dos últimos quatro trimestres há um crescimento de 5,1%. Para Mantega, esse desempenho está relacionado à concentração, no segundo trimestre, de atividades ligadas a commodities como a soja, que no trimestre posterior  já havia entrado no período de entressafra.

Em sua avaliação, o crescimento de 2,3% no acumulado dos quatro trimestres mostra que a economia brasileira cresce em sintonia com a economia mundial. “Estamos acompanhando a economia mundial com resultados melhores que no ano passado, e com trajetória de crescimento gradual, que deve continuar nos próximos semestres”, disse o ministro.

Leia também:  PIS/Pasep: saque antecipado para idosos começa em 19 de outubro

Mantega reconheceu, porém, que a escassez de crédito tem dificultado o consumo das famílias, que teve taxa de 1% no terceiro trimestre, mas ele vê um cenário de recuperação tomando por base os indicadores de queda na inadimplência, o que, em sua avaliação, favorece a retomada do poder de compra.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.